Além do Físico

"Há mais coisas entre o céu e a terra do que supõe vossa vã filosofia"

Pesquisar





Para quem não o conhecia, assim como eu, apresento-lhes Krampus, o Papai Noel qliphótico, ou o anti-Papai Noel.

Krampus é uma criatura mitológica que acompanha São Nicolau durante a época do Natal, segundo lendas de várias regiões do mundo. A palavra Krampus vem de Krampen, palavra para "garra" do alto alemão antigo. Nos Alpes, Krampus é representado por uma criatura semelhante a um demônio. Enquanto Papai Noel dá presentes para as crianças boas, o Krampus avisa e pune as más crianças. Tradicionalmente, rapazes se vestem de Krampus nas duas primeiras semanas de dezembro, particularmente no anoitecer de 5 de dezembro, e vagam pelas ruas assustando crianças e mulheres com correntes e sinos enferrujados. Em algumas áreas rurais, a tradição também inclui surras aplicadas pelo Krampus, especialmente em garotas.
As fantasias modernas de Krampus consistem em uma Larve (máscaras de madeira), pele de ovelha e chifres. A manufatura das máscaras artesanais demanda um esforço considerável, e vários jovens em comunidades rurais competem nos eventos do Krampus.
Em Oberstdorf, no sudoeste da parte alpina da Baviera, a tradição do der Wilde Mann ("o homem selvagem") é mantida viva. Ele é como o Krampus (exceto pelos chifres), veste peles e assusta crianças (e adultos) com suas correntes e sinos enferrujados, mas não é um assistente de São Nicolau.



A figura Krampus remonta à tradições germânicas pré-cristãs. Ele também compartilha características com os sátiros da mitologia grega . A Igreja Católica primitiva desencorajava celebrações com base em criaturas selvagens com formas de bode, e durante a Inquisição foram feitos esforços para eliminá-las. Contudo, as figuras de Krampus persistiram, e pelo século 17 Krampus havia sido incorporado nas celebrações cristãs de inverno, ao lado de São Nicolau.
Acredita-se que a tradição de vestir-se como Krampus surgiu como parte de um ritual de passagem de rapazes para homens. Eles seriam enviados para a floresta/montanhas com não muito mais do que um pequeno saco de provisões - semelhante a muitas tradições de passagem ainda encontrados em várias partes de todo o mundo. Ele volta para a aldeia depois vestido como Krampus, incorporando o espírito selvagem que trouxe consigo após este período vivendo como um animal selvagem na floresta. A tentativa de assustar as crianças era um teste de coragem para as crianças da aldeia, e também parte do seu processo de amadurecimento para demonstrar a sua bravura frente ao homem com chifres vindo das montanhas.

Embora Krampus tenha muitas variações, a maioria compartilha algumas características físicas comuns. Ele é peludo, geralmente marrom ou preto, e tem os cascos fendidos e chifres de um bode. Sua língua pontiaguda pende para fora da boca.

Krampus carrega correntes, para simbolizar a ligação do diabo pela Igreja cristã, as quais ele balança dramaticamente. As correntes são por vezes acompanhadas de sinos de vários tamanhos. Também proveniente de origem pagã é o açoite, um feixe de ramos de bétula que Krampus carrega e bate nas crianças ocasionalmente. O açoite têm significado em ritos de iniciação pagãos. Os ramos de bétula são substituídos com um chicote em algumas representações. Às vezes Krampus aparece com um saco amarrado a suas costas, onde carrega as crianças diabólicas para afogá-las, comê-las ou levá-las para o inferno.

Em algumas versões, Krampus tem uma conotação sexual, semelhante a dos sátiros, e é dito que perseguia mulheres peitudas. 



Krampus é uma releitura de uma entidade pagã conhecida como Percht ou Perchta.  Bartl,  Ruprecht, Knecht Ruprecht, são alguns dos muitos outros nomes de Krampus. Perchta era uma deusa pagã da região alpina, que aparece em duas formas: ou sedutora belíssima, branca como a neve, ou como um demônio em trapos.  A ela cabia a vigilância dos animais no início do inverno e a visita às casas para se certificar de que a fiação da lã estava sendo feita corretamente.  Seu dia festivo era o dia 6 de janeiro e sua festa foi incorporada às festas da Epifania no calendário cristão.


Deusa germânica Perchta
FONTES: Artigos do Wikipédia e consulta do artigo do blog Peregrina Cultural 

Como vocês podem perceber, Krampus é fruto de uma tradução limitada e maniqueísta de uma tradição pagã preexistente feita pela Igreja Católica. Originalmente carregava muita semelhança com o Deus Cornífero pagão, principalmente no seu aspecto de Senhor do Desgoverno, como visto na época de Samhain - o "Trickster", aquele que prega peças. Ele simbolizava a ação fatídica da Natureza sobre as plantações, destruídas pelo frio rigoroso e entregue aos espíritos do campo após o tempo certo da colheita.
Imbuído de uma carga moralizante, é incorporado nas festividades natalinas cristãs como mais um lembrete de que o pecado leva ao inferno e todos devem se submeter às leis da Igreja...


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Advertência

O uso das técnicas, rituais e conhecimentos adquiridos no Além do Físico é de responsabilidade única e exclusivamente sua, caro leitor. Não me responsabilizo, em nenhum nível, pela má utilização de tais ferramentas mágicas e espirituais.

Quem sou eu

Minha foto
Faço Psicologia na USP, tenho 22 anos, sou bruxo, magista e médium, sempre em busca das verdades espirituais. Encontro prazer imenso na leitura, que nos possibilita viajar através de dimensões, espaço e tempo num folhear de páginas.

Postagens populares

Seguidores

Visitas

Qual a sua relação com o Mundo Não-Físico?

Google Analytics Alternative