Além do Físico

"Há mais coisas entre o céu e a terra do que supõe vossa vã filosofia"

Pesquisar





Para ser um mago eficaz em nosso mundo moderno, você precisa ser capaz de manter duas posturas ou paradigmas mentais aparentemente difentes e às vezes opostos, simultameamente: primeiro, a postura mental que lhe permitirá realizar a sua magia nos mundos espirituais, e a postura mental oposta que lhe permitirá viver no mundo profano científico moderno. De fato, certos magos tribais aborígenes, conhecidos como xamãs, são descritos como verdadeiros esquisofrênicos, porque efetivamente vivem e trabalham em vários planos da realidade ao mesmo tempo.

Para equilibrar adequadamente as necessidades desses paradigmas mágicos e mundanos frequentemente conflitantes (sem enlouquecer), muitos criam o que se conhece como "personas mágicas". Este é um aspecto da personalidade que é forte e eficaz na magia e não totalmente ajustado ao mundo profano. Essa persona normalmente tem um nome diferente (o nome mágico), usa roupas diferente (trajes mágicos) e opera numa esfera diferente (o círculo mágico) da personalidade mundana. Essas exigências místicas que muitas personas mágicas têm podem limitar um pouco as pessoas (isto é, elas só conseguem realizar magia eficaz num Círculo e com material apropriado), mas a eficácia também pode aumentar. Outros, com prática e experiência, podem pôr e tirar sua persona mágica a qualquer momento, em qualquer lugar, e ser menos dependentes de equipamentos. A escolha de como trabalhar depende de você. Provavelmente seu modo de operação mudará com o tempo e com a prática. As pessoas geralmente começam praticando magia dentro de um Círculo com todo o material, e à medida que ganham experiência e confiança vão se capacitando a praticar quase a qualquer momento e em qualquer lugar. Idealmente, mesmo nu e numa sala vazia, você deveria ser capaz de realizar uma magia intensa e eficaz.


Descreveremos agora uma forma de desenvolver uma "persona mágica". Para isso, apresentaremos dois conceitos ou técnicas psicológicas/mágicas: "nome verdadeiro" e "duplicação da personalidade".


Nome Verdadeiro

Pelo menos em teoria, um nome verdadeiro é exatamente o que essa expressão denota: o nome original real (possivelmente primordial) de cada objeto ou pessoa. Diz a teoria que, se você conhece o nome verdadeiro de uma pessoa ou objeto, você pode dominar essa pessoa ou objeto. Essa crença contém alguma verdade, mas a realidade é mais simples e ao mesmo tempo mais complexa do que essa breve explicação. Meramente dizer uma palavra, qualquer palavra, sem você saber o que está dizendo (o conhecimento de uma palavra a infunde com um poder psíquico a que se pode recorrer quando ela é usada conscientemente com vontade), é apenas emitir sons sem sentido.

Quando profere uma palavra que compreende, você sub­conscientemente revê tudo o que sabe sobre essa palavra. Por exemplo, ao acender um fósforo, quer você diga ou não a palavra "fogo" em voz alta, a sua mente estará in­vocando fogo pelo fato de repassar tudo o que você sem­pre soube e experimentou com relação ao fogo. Se vo­cê vê um amigo, o seu Subconsciente, como parte do processo de reconhecimento, repassará rapidamente cada lembrança que você tem envolvendo esse amigo. É esse processo automático de revisão subconsciente que constitui o nome verdadeiro. Lembre também que e a Mente Subconsciente que se comunica com a Al­ma. O ato de dizer uma palavra desencadeia o proces­so de revisão. Por isso, um nome verdadeiro só produ­zirá resultados se você souber realmente o que ele significa. É esse conceito sobre a natureza da realidade física que os magos tradicionais estudaram, e também a razão de serem considerados verdadeiros filósofos.

Agora, devido a essa verdade relacionada com os nomes verdadeiros, você só conseguirá desenvolver realmente uma persona mágica se souber quem você é, para ter um ponto de partida, e se tiver clareza do que você quer que a sua persona seja.
Essas duas coisas não são tão difíceis quanto muitos acreditam, porque a maioria dos wiccanos normalmente trabalha sobre a autodescoberta e porque existem muitos modelos de papeis mágicos possíveis sobre os quais se pode basear uma persona.


O primeiro passo consiste em você tentar se conhe­cer tão verdadeira e honestamente quanto possível. Compreenda que o autoconhecimento é um processo sem fim, e não uma meta alcançável de modo absolu­to ou instantâneo. Se você mal começou a se conhe­cer, isso já é bom por enquanto. Você se tornará mais autoconsciente à medida que avançar, e o seu enten­dimento do seu nome verdadeiro aumentará.

O segundo passo consiste em você decidir sobre um modelo de persona com que você se sinta à vontade. Poderia ser o personagem de um livro ou de um filme, ou basear-se numa pessoa viva que o impressionou, ou ainda inspirar-se na sua própria concepção idealizada do que deveria ser um mago poderoso. Qualquer alternativa dessas produzirá bons resultados.

O terceiro passo consiste em conhecer a duplica­ção da personalidade.


Duplicação da Personalidade
Podemos encontrar referências à técnica denominada "duplicação da personalidade" voltando aos inícios do século XVIII. Com essa técnica, a pessoa basicamen­te desenvolve uma personalidade alternativa, intencional, controlada. Para assumir efetivamente várias personalidades alternativas, sem que elas acabem no controle, você precisa conhecer a sua Personalidade Essencial. Neste caso, a Personalidade Essencial é idên­tica ao seu nome verdadeira O exercício apresentado abaixo ajudá-lo-á a desenvolver várias personalidades alternativas e também a manter o controle sobre quem você é, porque ele protege a Personalidade Essencial.



Exercício da Duplicação de Personalidade

ETAPA 1
Num ritual intencional elaborado de acordo com o seu sistema de crenças, dê-se um nome (seja ele mágico ou mundano) que seja o seu "nome verdadeiro".
Esse nome será a sua "Personalidade Essencial". Faz parte dessa Personalidade Essencial tudo o que vo­cê conhece a seu respeito. Dê à sua Mente Subconsciente a oportunidade de acrescentar outros dados considerados relevantes.

ETAPA 2
Visualize-se lançando outro Círculo mágico em torno dessa Personalidade Essencial e reconheça que ela é você. Você não precisa mentir a si mesmo sobre quem você é. Esta deve ser uma avaliação o mais honesta possível de si mesmo. Essa "persona com nome verdadeiro" será a sua personalidade básica.

Observação: Se você já "sabe quem é", devido às várias técnicas de autodescoberta que já praticou, você pode pular essa etapa. Apenas reexamine-se periodicamente para verificar se ainda "sabe quem é".

ETAPA 3
Agora, numa parte bem diferente do ritual, escolha uma situação que você julga que precisa abordar, mas que se sente pessoalmente inadequado para fazê-lo.
Escolha um papel ou um tipo de personalidade que você gostaria de imitar. Essa personalidade deve ser escolhida pela capacidade que ela possa ter de enfrentar a situação em tela. (Por exemplo, é válido ba­sear uma persona no personagem Conan dos livros de Howard — não na atuação cinematográfica de Schwazenegger —, se você precisa destruir algum "monstro do mal". Entretanto, esse não é um mode­lo tão eficaz se você quer ser um astrólogo ou um matemático.)

Construa essa persona em sua mente e dê-lhe um nome.

ETAPA 4
 Agora (e esses dois últimos aspectos são muito importantes se você não quer ''Se" perder numa persona, conto já vimos acontecer com algumas pessoas) escolha um signo de invocação, algum gesto ou pa­lavra que sempre usará para invocar essa personalidade.

Por exemplo, ao vestirem seus trajes ritualísticos, muitas Sacerdotisas invocam uma persona que pode­mos descrever como sua personalidade "Sacerdotisa da Deusa". Esta pode ser absolutamente diferente da personalidade mundana.

ETAPA 5
Finalmente, escolha um signo de dispensação, um gesto ou palavra que você usara para dispensar de­terminada personalidade depois que ela realizou a sua função. Com relação a uma das personalidades alternativas que assume, Paul a invoca puxando o lóbulo da orelha direita es dispensa puxando o lóbulo da orelha esquerda.

Talvez esta última etapa seja mais importante, e a que muitos magos em geral omitem. Como diz um antigo ditado da magia: "É preciso ser capaz de dispensar o que foi invocado." E, de fato, se não consegue dispensar com facilidade uma dessas personalidades "artificiais", talvez você esteja começando a enveredar pelo caminho de uma verdadeira esquizofrenia clinica.

Este é o término da Ação. Desfaça o Circulo como sempre.
Desde o encerramento deste ritual até a dispensa definitiva dessa persona recém-criada, você deve usar conscientemente esses signos de invocação e de dispensação sempre que quiser recorrer a essa personalidade.

Para os que têm treinamento ou experiência como atores, essas técnicas são semelhantes às que um ator aplica quando entra ou sai de um personagem. Esse conjunto de técnicas (bem documentado em outros lugares) também podeser muitoeficaz na duplicação da personalidade.
É possível criar praticamente qualquer persona aplicando essa técnica de duplicação da personalidade, para lidar com quase qualquer situação. Com o passar do tempo, se quiser, você poderá incorporar partes dessas personalidades artificiais, ou todas elas, em sua Personalidade Essencial. Mas lembre-se: se não mantiver essas personalidades separadas de "Você mesmo", e se não controlar conscientemente o momento e o modo como elas são invocadas e usadas, se você não as despedir conscientemente quando não forem mais necessárias, talvez você perceba que de fato está "Se" perdendo — em outras palavras, essas personalidades alternativas podem assumir o controle dos seus pensamentos e ações quando é inapropriado agirem desse modo.

A propósito, uma das razões que justificam o desenvolvimento do seu nome verdadeiro é o controle firme sobre todas as suas personalidades. Você então terá alguém com quem se comparar; assim, se tiver problemas com uma situação em que uma ou mais personalidades alternativas tentam assumir o comando (ou fazer algo semelhante, mas também confuso), você pode recuperar o equilíbrio e remediar a situação.


Se você está lendo este livro, imaginamos que o es­teja fazendo porque quer ser um Praticante das Artes Mágicas e está tentando desenvolver a consciência de que às vezes impressões psíquicas externas a você podem influenciá-lo (isto é, existem pensamentos e sentimen­tos que tentam fazê-lo sentir ou fazer coisas que não são você ou que você não quer). Se sabe conscientemente quem você á de fato, você deve ser capaz de perceber quando essas "sensações estranhas" não são você — quando elas vêm de fora da sua "Personalidade Essen­cial" ou "Verdadeira"— e essa é uma boa razão para de­senvolver e manter uma Personalidade Essencial. Uma maneira apropriada de então banir esses pensamentos intrusos é invocar o seu nome verdadeiro.

FONTE: Wicca Essencial - Paul Tuitéan e Estelle Daniels

4 comentários:

Mto bom!
Mas como se faz para escolher um nome mágico apropriado pra mim, como eu posso saber q esseé o meu "verdadeiro nome"?

Bom, quando eu escolhi o meu (sem saber quase nada sobre isso aí), peguei um nome que eu mesmo já tinha inventado e gostava muito e testei na tabela pitagórica, pra ver o que a numerologia falava. Aí, coincidentemente ou não, deu o mesmo valor do meu nascimento, o que é muito bom. Então ficou esse mesmo.
Você também pode entrar em alfa, ir para o seu lugar de poder e invocar o seu Self Verdadeiro. Eu já me encontrei com alguma parte do meu Self, não sei se foi o verdadeiro, mas você poderá conversar com ele e tentar pedir o seu nome.
Tente também por Oniromancia; usando a técnica de incubação de sonhos que já ensinei aqui, programe-se para sonhar com seu Nome Verdadeiro.
Além disso, você pode tentar pegar um dicionário de nomes e ver os significados, escolhendo um que tenha a ver com você.

Adorei o post, muito legal isso mas... Vc disse que podemos criar personalidades ''mágicas'', outras personalidades. Tem como criar corpos físicos também, tipo um... ''Outro corpo''. Sei que é muita imaginação mas, seria bom saber uma resposta :)

Não é impossível. No Espiritismo isso é chamado de bicorporeidade, temos o exemplo Santo Antônio de Pádua - que pregava em uma cidade, enquanto materializou-se em outro local para provar a inocência de seu pai em um julgamento.
Um mago que tenha dominado todos os elementos, é capaz de fazer criações astrais se materializarem à vista e toque de todos, através do elemento Terra. Teoricamente é possível criar um "avatar" assim materializado e transpor a consciência para ele.
Mas é uma coisa tão além das nossas possibilidades, que fica tudo só na abstração.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Advertência

O uso das técnicas, rituais e conhecimentos adquiridos no Além do Físico é de responsabilidade única e exclusivamente sua, caro leitor. Não me responsabilizo, em nenhum nível, pela má utilização de tais ferramentas mágicas e espirituais.

Quem sou eu

Minha foto
Faço Psicologia na USP, tenho 22 anos, sou bruxo, magista e médium, sempre em busca das verdades espirituais. Encontro prazer imenso na leitura, que nos possibilita viajar através de dimensões, espaço e tempo num folhear de páginas.

Postagens populares

Seguidores

Visitas

Qual a sua relação com o Mundo Não-Físico?

Google Analytics Alternative