Além do Físico

"Há mais coisas entre o céu e a terra do que supõe vossa vã filosofia"

Pesquisar





Feliz Halloween! Feliz Samhaim!







Amanhã, 31 de outubro, bruxos e pagãos do Hemisfério Sul celebram Beltane, o grande ritual da fertilidade do Deus e da Deusa, com mastros enfeitados (Maypoles), música e fogueiras. A natureza celebra a grande fecundidade da terra em rituais de sexo, nascimento e nova vida. Homens e mulheres também participam na exuberância da natureza ao ansiarem por unir-se e reproduzir-se. Em antigos costumes e rituais, reencenamos simbolicamente a união da Deusa e de seu jovem Deus Cornífero. E apaixonamo-nos.
No Beltane, trajamos de verde para homenagear o Deus céltico Belenos. Tornamo-nos o ”povo verde", os pequenos pãs com máscaras de folhagem, orelhas pontiagudas e pequenos chifres, representando a força vital da natureza, agora mais evidente do que nunca nos campos verdejantes. Acendemos fogueiras (Beltane significa o fogo de Belenos) e pulamos sobre elas para mostrar a nossa proeza e entusiasmo com a estação
que se avizinha.

Disponibilizo para vocês o ritual que utilizei no ano passado, baseado em diversas fontes e adaptado segundo as necessidades e intuição. Você é livre para fazer o mesmo! E para quem segue a Roda do Norte, celebrando Samhain, confira os posts anteriores aqui e aqui.




Ritual de Beltane


PREPARAÇÃO: CALDEIRÃO, UM GALHO, VELAS VERDES, INCENSO.

- Este é o tempo no qual o doce desejo se casa com o prazer selvagem. A Donzela da Primavera e o Senhor do Ano Crescente encontram-se nos campos verdejantes e se comprazem sob o sol tépido. O bastão da vida está entrelaçado na tela espiral e toda a natureza é renovada. Encontram-nos no período do florescimento para dançarmos a dança da vida.

Traçar o círculo mágico. Invocar os elementos com versos improvisados.
Invocação à Deusa:

“Donzela dos Prados e Bosques, dançarina dos fluxos sazonais, convido-te a entrar no Círculo da Arte e conosco celebrar. Tu que és a sedutora, a caçadora, a indomável chama de Beltane; provocante e independente, mostre o seu fulgor inconsequente. Em tempos Antigos, por muitos nomes era conhecida, por isso te chamo: Ishtar! Afrodite! Blodeuwedd! Kore! Ísis! Maia! Flora! Eu te invoco!”

Invocação ao Deus:

“Venha das montanhas, vales, bosques e prados. Oh, Senhor de todos os animais, venha grande fecundador do Universo. Deus Cornífero que ilumina e traz vida, regente dos céus e das estrelas, Galhudo das florestas, Senhor de tudo que existe e do que há de vir. Viril, forte, poderoso, insaciável desejoso, venha unir-se com a Deusa em êxtase esplendoroso. Tammuz! Cernunnos! Pan! Baco! Dionísio! Herne! Fauno! Eu te invoco!”

Dançar deosil no círculo, cantando alegremente a canção para elevar o poder fertilizante de Beltane, concentrando-o numa vela dentro do caldeirão:

“Beltane, Beltane
Em volta do mastro eu danço
Beltane, Beltane
Sua fita em mim eu tranço
A vida, a vida é pura felicidade
O Amor, o Amor

Torna-se realidade
Celebre a Senhora da Primavera e a alegria
Celebre os Deuses Antigos e o sol de cada dia
Celebre o poder do Amor que é a única Verdade
Celebre o  Grande Rito e dê sua amizade”

Quando o poder atingir o auge e for encerrado na vela, diga:

“Neste caldeirão, brilha a chama de Bel,
O fogo da Primavera que chama o Verão.
Assim a Roda do Ano gira mais uma vez.
Este é o fogo de Beltane.
Que ele traga alegria e paz”

Pule sobre o Fogo Sagrado para se purificar e trazer as energias de Beltane para seu corpo.
Depois, peguem uma travessa com terra. Abençoem-na em nome da Deusa. Coloquem as mãos sobre ela e digam: 

Abençoamos, consagramos e separamos esta terra, em nome da Deusa Tríplice. Que seja sagrada esta terra, dedicada à mapa. Pois a terra é da Deusa, sendo seu corpo sagrado.
Decorem a terra com flores.

Agora, tomem uma vara de madeira e abençoem-na em nome do Rei do Dia, o jovem ardente, o Rei da Vida, o Rei da Floresta. Passem a vara rapidamente pela chama da vela, o fogo Bel, para que absorva a magia, carregada de poder. Coloquem a vara sobre a terra e fiquem segurando-a:

Como a vara é para a terra
assim o macho é para a fêmea
e o Sol ao nosso mundo em flor.
Juntos, trazem a felicidade
Que o Deus da Vida propicie_____ [Nomeie algo desejado, por exemplo: paz na Terra.]
Que a Deusa cumpra seus desejos.

Sentem-se em silêncio, imaginando o florescer daquilo que desejam. Deixem a terra e a vara sobre o altar ou em frente a ele. Caminhem no sentido dos ponteiros do relógio, três vezes ao redor do círculo, depois em espiral, até o centro. Andem compassadamente, com graça, meditando. Sentem-se ao lado da vela acesa, permitindo-se usufruir a paz. Olhem a chama com profundidade. A próxima etapa é diferente, dependendo se se refere a um homem ou uma mulher.

Para homens: você deve imaginar uma chama luminosa. Esta queima no seu centro sexual, um ponto à base do estômago, pouco acima da linha do pêlo pubiano. É sua força masculina, sua energia que pode se elevar através do corpo, para ser liberada como a doação, o poder fertilizante, em qualquer forma, ou talvez a potência que impregna, gerando um filho ou filha.
É a força que abençoa e concede, energia curativa e criadora como o brilho solar. Visualize o jardim onde está sentado em frente a uma roseira, as rosas em botão. (Se preferir, pode ser madressilva, ou roseira silvestre, na floresta). Diga:

Sou homem,
e na minha paixão está a beleza,
no meu calor, a vida.
Sou o filho da Deusa,
abençoado pelo Deus,
E assim ofereço minha força
e vitalidade para_____
[Aqui nomeie a área da vida, o lugar, a criatividade ou compromisso que
escolheu.]

Visualize a luz fluindo torrencialmente de você para a rosa em botão que, sobre o pé, vai abrindo. Sua chama declina, pelo esforço. Perde-se muita energia, a chama baixa ainda mais. Espere e contemple, até que uma luz rosada flua da flor ao corpo. Ao seu toque, um pouco acima da linha do pelo púbico, a chama ressurge. Ela queima mais alto e com mais força que anteriormente. Abra os olhos. A chama está sempre dentro de você, doando-se às formas que escolher e a seguir rebrilhando.

Dirija-se até o altar, pegue então a taça com a mão esquerda e o Athame com a mão direita levantando-os acima da cabeça, em sinal de apresentação dizendo:

"Eu invoco a Deusa do Círculo do Renascimento, a Doce Senhora que fecunda a Terra.
Que este Vinho sagrado seja abençoado.
Este cálice representa o ventre da Mãe, símbolo da perpetuação da vida.
Eu invoco o Deus Cornífero Senhor dos bosques e dos animais para que abençoe este Athame, símbolo masculino da fertilidade e manifestação"

Mergulhe a lâmina do Athame no líquido da taça dizendo:

"Pela taça e pelo athame
Que este vinho seja consagrado.
Eu uno o masculino e o feminino para trazer bênçãos, prosperidade, amor e sabedoria.
Pela Terra e pela Água, pelo Ar e pelo Fogo, que o círculo da vida jamais se quebre"

Retire o Athame da Taça e coloque-o sobre o altar. Tome um gole do vinho, despeje um pouco no caldeirão, dizendo:

"Que os antigos Deuses abençoem esta libação, pois ela é feita em sua memória para que possamos retornar quando chegar o devido tempo".

Abençoe o alimento com o bastão, dizendo: “Abençoado seja o alimento que sustenta a vida. Despertado pelo calor do desejo do Sol, trazendo vigor e energia para os nossos corpos, o Fogo de Beltane que queima em cada célula!”
Compartilhe os alimentos e poemas.


É noite de Beltane
Grande Noite de Luz
Fúria dos amantes
Energia que flui

Das fogueias acesas
Da magia no ar
Das ofertas doadas
De um grande Sabbat

O Sol desbancando
O inverno já escasso
União da Deusa e do Deus
Do profano ao sagrado

Alimentos pagãos
Fruta verde e vermelha
No corpo da consorte
A vontade que queima

Espera ansiosa
A hora farta da ceia
Em dar seu formoso corpo
Aquele que a queira

Com o cálice de vinho
Jogado na terra ao luar
O ritual começa
Donzela não mais será

Corre agora pelos campos adentro
As fogueiras de Beltane que os aguardem
Com máscaras feitas de folha nas faces
Deusa e Deus se fazem

Rolam pela grama os consortes
Sacerdote e Sacerdotisa hão de ser
Trazem benção dos céus aos campos
Pra boas colheitas e fertilidade ter

Se amam por uma noite
Como se fosse por uma eternidade
A virgem que já não é mais virgem
Traz no ventre felicidade

As sementes da primavera
Também sagradas serão
Pagão, Deus ou Deusa
Seguindo a tradição com certeza
Nos campos de Beltane estarão.


 Despeça-se dos deuses e dos elementos e abra o Círculo.
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Ó Deusa Mãe, rainha da noite e da Terra;
Ó Deus Pai, Rei do dia e das florestas,
Eu celebro sua união enquanto a natureza se alegra num ruidoso banho de cor e vida.
De sua união surgirá a vida renovada; Uma profusão de criaturas vivas cobrirá a terra,
E os ventos soprarão puros e doces.
Ó antigos, eu celebro com vocês!




O trecho que selecionei para este artigo é do livro "O Poder da Bruxa", de Laurie Cabot. Ela é fundadora da Tradição Ciência da Bruxaria, que tenta conciliar explicações científicas para fenômenos mágicos e psíquicos. Apesar de achar isso desnecessário - magia não é quantificada e explicada, é praticada e sentida - é muito interessante ver que certas coisas podem ser provadas. Para uma pessoa de mente aberta, continua sendo magia, o Poder Antigo fluindo em harmonia com o Saber Científico. Para os céticos, só vem provar o que eles já sabiam...
------
Rollright Stones, Inglaterra
Pedras especiais e disposições especiais de pedras sempre representaram um grande fascínio para as Bruxas e outros magos. Nos antigos tempos, as Bruxas designavam os altares ao ar livre por um anel de pedras em torno de um rnontículo de terra, localizado, sempre que possível, à margem de uma falha geológica. Montículos espirituais e anéis mágicos ainda salpicam os campos britânicos e de outros países, e até mesmo os Estados Unidos têm alguns lugares que não foram muito devassados desde os tempos pioneiros, quando os primeiros colonos, trazendo com eles antigos hábitos da Arte, construíram especiais montículos, ou altares. Já aqui encontraram, é claro, as rodas de medicina e os cômoros sagrados construídos pelos povos indígenas de que as tribos ameríndias descenderam. Existe uma tendência recente entre os nativos para construir novas rodas de medicina para cerimônias rituais, e americanos não-nativos também se apropriaram dessa prática num esforço conjunto para nos reconsagrarmos e reconsagrar a terra. As Bruxas também fazem círculos de pedra ou plantam cristais num anel numa área arborizada ou num pátio. No meu altar, eu tenho muitas pedras de vários sítios sagrados de todo o mundo e de lugares especiais que visitei.

Círculo de pedras de Swinside, no Lake District, Inglaterra.
 A Terra inteira é sagrada e tem poder mas certos lugares foram reconhecidos desde os mais remotos tempos como pontos de incomuns concentrações de energia. Esta concentra-se ao longo de falhas geológicas e a ciência moderna mediu a concentração nos campos eletromagnéticos à sua volta. As Bruxas realizam peregrinações a esses sítios sagrados para efetuar rituais a fim de erguer o véu entre os mundos (freqüentemente o véu de nossa própria cegueira humana) e extrair a energia sagrada aí presente. Campos de intensa energia magnética, falhas geológicas e vulcões — lugares onde a Terra está misteriosamente ativa e é perigosa -sempre atraíram os humanos, quer estes tenham ou não consciência da presença de divindades. São, com freqüência, lugares de incrível beleza, como Delfos na Grécia ou o Monte Shasta na Califórnia ou os Montes Negros na Dakota do Sul. Hoje, grandes cidades como San Francisco e Nova York estão construídas sobre zonas de falhas, e grandes concentrações de energia humana também aí se captam. Lugares sagrados e lugares de grande poder e beleza naturais atuam como magnetos sobre as sensibilidades humanas, estimulando a alta criatividade e a intuição espiritual.

Cromeleque dos Almendres, Portugal
Há provas científicas de que sítios sagrados têm poder num nível psicofísico. Investigações recentes mostraram que as tradicionais fontes sagradas e águas curativas no sudoeste americano contêm lítio, um moderno psicofármaco que atua como estabilizador em episódios maníaco-depressivos. Alguns lugares sagrados contêm rochas com altas cargas de minério de urânio, o qual estimula a produção de íons negativos no ar, dando à pessoa uma sensação de bem-estar. Os cientistas também apuraram que, quando as pessoas mergulham em fortes campos eletromagnéticos, começam a se harmonizar com eles. Os campos que têm as mesmas freqüências eletromagnéticas que as ondas alfa cerebrais, associadas à criatividade e ao
relaxamento, exercem um efeito físico direto sobre o nosso estado psíquico de ser. Em alguns locais, as elevadas concentrações de energia eletromagnética produzem halos em torno dos picos das montanhas, e quando se caminha através deles, os nossos cabelos ficam literalmente em pé. Sentimo-nos carregados de energia. Como esses lugares estão de tal modo investidos de energia da Deusa, as Bruxas visitam-nos para
inspiração e para ligação com os nossos ancestrais que aí se dedicaram à magia.

Grange, Irlanda

"As Brumas de Avalon", de Marion Zimmer Bradley, é um dos meus romances preferidos e o é também para muitos bruxos e pagãos. A lenda de Rei Arthur, recontada pelo ponto de vista das grandes mulheres da história - Morgana, Viviane, Igraine, Raven, Morgause -, seguidoras da Deusa, fascina o leitor desde as primeiras páginas com sua magia única. A autora, apesar de não ser seguidora da Arte, pesquisou muito e através das obras de Gardner, Margaret Murray, Starhawk e o contato com sacerdotes e sacerdotisas, recriou uma forma de paganismo admirável, cheia de sabedoria mágica nas entrelinhas.
Como o post ficou maior do que eu esperava, vou postar os trechos dos livros na íntegra em outra página, para não saturar esse post. Não é essencial a leitura dos trechos para entender o artigo, mas recomendo e acho que vão gostar. Organizei-os em ordem de prioridade, o primeiro e mais completo deles é suficiente para o que vamos discutir aqui. Leia AQUI.
-----


A Visão, no livro, é o termo usado para se referir às percepções extrassensoriais que se manifestam como a visão de eventos passados, presentes e futuros, sonhos proféticos, intuição, a capacidade de se comunicar remotamente com outras pessoas, etc. Ela se manifesta nos descendentes do sangue das Fadas, o Povo Pequeno.
Podemos dizer que a Visão é todo meio de acessar informações por meios ocultos, uma capacidade inata para certas pessoas, resultante de um aprimoramento psíquico que foi   transmitido entre descendentes de uma raça pura.

Em nossa realidade, o fator hereditário não é mais essencial para garantir capacidades ocultas, visto que raças puras são praticamente inexistentes e a mistura genética é muito grande, principalmente em países latino-americanos. Entretanto, certas condições fisiológicas predispõem uma pessoa à Visão, como a sensibilidade nervosa, a constituição física delicada, o desenvolvimento das glândulas pineal e pituitária, etc
Hoje em dia, uma pessoa com a Visão geralmente é um bruxo, médium ou xamã. Excluindo os casos de mediunidade de prova, que podem se manifestar a despeito de tudo o que foi dito aqui, falamos de uma capacidade psíquica natural e exercitada pela Vontade.

Além disso, um aspecto que era muito valorizado antigamente em aspirantes à Visão era a virgindade. No trecho de “A Queda de Atlântida”, Micon pergunta se Deoris é virgem antes de conduzi-la ao transe.
Principalmente nas mulheres, nas quais os chakras psíquicos são naturalmente mais ativos devido à polaridade lunar-passiva (sexual e frontal; Svadhishtana e Ajna), a virgindade permitia-lhes uma conexão muito mais fácil e profunda com os Planos Sutis, porque sua essência vibratória apresentava-se pura, sem cordões energéticos que as conectassem com outras pessoas nos níveis dos chakras citados. As sacerdotisas virgens e treinadas podiam canalizar energias de altíssimas frequências, como faziam as Vestais, e atuar como verdadeiras profetisas e receptáculos do Fogo Sagrado.
A perda da virgindade não acarreta perdas na sensibilidade mediúnica se a Visão foi desenvolvida antes dessa ocorrência. Magisticamente, a perda da virgindade é a troca íntima de energias Kundalini e não necessariamente o sexo em si. Qualquer intercurso sexual, entre pessoas de sexos distintos ou não, já acarreta essa troca de energias.
Por isso é recomendado em centros e terreiros que os médiuns não façam sexo pelo menos 24 horas antes dos trabalhos, pois as suas auras ficam impregnadas com as energias do parceiro e isso atrapalha a conexão com os espíritos e a incorporação. Depois desse tempo, o corpo reassume sua essência e dissipa as energias externas.

Essa sabedoria ainda é observada em rituais rosa-cruzes, com as meninas chamadas Columbas, e nas missas católicas, com os coroinhas. A Castidade funciona através de uma alquimia que transforma o desejo carnal e sexual em uma energia espiritual através do desenvolvimento dos chakras superiores e do controle dos chakras inferiores. Exemplos deste tipo de iluminação incluem os monges budistas, monges shaolins, os padres da Igreja, algumas santas e outros eremitas da literatura religiosa e ocultista.

Voltando à referência do livro, Viviane pede que Morgana encha uma bacia  de metal com água de chuva e não fale com ninguém depois disso. Isso para que ela não tenha nenhuma interferência energética que poderia dificultar-lhe a Visão, ainda não desenvolvida. O metal é um excelente condutor energético, principalmente a prata, que se alinha às frequências magnéticas lunares e favorece o psiquismo. E a água da chuva também seria mais pura, pois não foi manuseada por ninguém e é melhor para ser magnetizada. Aliás, quanto mais gelada estiver a água, mais acentuada será sua capacidade de ser imantada de modo a refletir os Planos Ocultos. Entre 0ºC e 4°C seria o ideal.
Depois, Viviane pede que Morgana solte os cabelos e tire quaisquer joias e objetos metálicos, pois como já foi dito, metais são condensadores energéticos e poderiam interferir na Visão com as cargas que já trazem consigo. Esse é um cuidado essencial quando se trabalha com Psicometria (investigação psíquica de um objeto); qualquer contato entre o objeto visado e outros materiais ou pessoas pode interferir no diagnóstico do médium.
Quanto aos cabelos, eles atuam como antenas psíquicas, pois a cabeça é uma região de muita concentração energética. É análogo ao princípio físico do poder elétrico das pontas: as cargas tendem a ser descarregadas através de extremidades condutoras pontiagudas.
Viviane então joga na bacia algumas ervas que estimulam a Visão.
Em outro trecho do livro, quando Igraine tenta invocar a sua Visão, são citadas as seguintes ervas: lavanda, rosa silvestre, junípero e aveleira.
A rosa silvestre é regida pela Lua e portanto carrega seu magnetismo e exalta a intuição.
As outras três são ervas regidas por Mercúrio, planeta que governa as operações mágicas. A aveleira favorece a aquisição de conhecimento e proteção espiritual, além de ser uma ótima madeira para a confecção de varinhas, pois é muito sensível às correntes etéricas e astrais. O junípero favorece as visões, a clarividência, abre a mente inconsciente e protege, além de ser um ótimo purificador quando queimado como incenso, destruindo miasmas e afastando entidades maléficas. A lavanda fortalece a mente, purifica e tonifica a aura e afasta entidades malignas.

Por último, Morgana pergunta se viu alguma coisa, pois não se recorda de nada. Isso se deve à profundidade do transe que atingiu e a falta de experiência com a Visão. É comum no começo do treinamento de um vidente que suas impressões sejam vagas ou confusas e de que ele não esteja consciente delas depois de voltar à consciência desperta, porque não aprendeu ainda a focar-se  em uma única frequência e é atingido por todos os lados pelas marés astrais. É importante que tenha uma pessoa a lhe guiar nas primeiras experiências, para garantir que ela saia do transe em segurança. Uma interrupção abrupta pode causar um choque energético violento, fazendo com que a pessoa fique desacordada – uma vez que seu corpo astral se desprendeu do físico e não foi acoplado adequadamente. Em operações mágicas desse tipo, sem a devida proteção, também se corre o risco de ataques provenientes do Astral. Essa era a preocupação do sacerdote Rajasta, quando percebeu o que Micon pretendia fazer, sem a segurança de um Templo ou Círculo.
A contemplação da água é apenas um dos vários modos de se acessar a Visão. Podem ser utilizados cristais de quartzo transparente, principalmente em formatos esféricos (as famosas bolas de cristal!); espelhos; um pedaço côncavo e circular de vidro, com a superfície interna pintada de preto; e várias outras ferramentas que refletem a luz e podem levar a um estado hipnótico. Na verdade, estes objetos são desnecessários para uma pessoa treinada, que pode ver diretamente com seu olho interior.
Hudson de Pádua Lima

Fontes consultadas na pesquisa:

* Para os trechos ilustrativos:
BRADLEY, Marion Zimmer – As Brumas de Avalon
– A Queda de Atlântida
* Para as propriedade mágicas das ervas:
MONTEIRO, Adriano Camargo – Sistemagia.
 *Os aspectos mágicos da virgindade:
Comentários do site Teoria da Conspiração, de Marcelo Del Debbio.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Advertência

O uso das técnicas, rituais e conhecimentos adquiridos no Além do Físico é de responsabilidade única e exclusivamente sua, caro leitor. Não me responsabilizo, em nenhum nível, pela má utilização de tais ferramentas mágicas e espirituais.

Quem sou eu

Minha foto
Faço Psicologia na USP, tenho 22 anos, sou bruxo, magista e médium, sempre em busca das verdades espirituais. Encontro prazer imenso na leitura, que nos possibilita viajar através de dimensões, espaço e tempo num folhear de páginas.

Postagens populares

Seguidores

Visitas

Qual a sua relação com o Mundo Não-Físico?

Google Analytics Alternative