Além do Físico

"Há mais coisas entre o céu e a terra do que supõe vossa vã filosofia"

Pesquisar





Drogas na Magia Cerimonial

É bem sabido que há várias drogas que podem ser utilizadas para exaltar a consciência e induzir um psiquismo temporário. Mas talvez não se saiba que muitas dessas substâncias estão sujeitas ao controle das autoridades e que obtê-las de fontes irregulares, ou mesmo ter a posse delas para fins ilegítimos, constitui crime sujeito a prisão, e nesse caso também as autoridades estão alertas e os magistrados costumam ser extremamente drásticos.
Todos os iniciados do Caminho da Mão Direita concordam em que exaltar a consciência por meio de drogas é um procedimento perigoso e indesejável. Existem pesquisadores que por razões legítimas desejam empreender uma experiência, mas não posso conceber qualquer razão legítima para introduzir um neófito no hábito das drogas. Em todo caso, se tais experiências são tentadas, elas deveriam ser conduzidas sob a supervisão de um médico qualificado, que estaria em condições de prevenir a catástrofe ou de lidar com ela no caso de sua ocorrência. As drogas que alteram a consciência afetam também o coração, e o coração nem sempre é como deveria ser. Além disso, a composição das drogas raras não está padronizada e varia bastante; elas podem conter várias impurezas, e as amostras podem tornar-se anormalmente tóxicas. O aborrecimento de termos sob as mãos um cadáver inesperado e inexplicável só é superado pelo desgosto de tornarmo-nos nós mesmos o cadáver, e uma dessas eventualidades pode ocorrer quando as pessoas começam a fazer experiências com drogas que "afrouxam os laços da mente".

Drogas na Bruxaria Antiga

Poções, ungüentos e fumigações foram utilizados amplamente, e entre todos os ingredientes misteriosos e extraordinários de que eram compostos podemos redescobrir as substâncias que, como sabemos, têm amplos poderes medicinais. A papoula, que produz sono e sonhos, o cânhamo, que produz visões, a datura, que causa a perda da memória, grãos empestados, que produzem o aborto, insetos, que são poderosíssimos afrodisíacos, cascas de árvores, que são eficazes anafrodisíacos, e, no Novo Mundo, os brotos de certos cactos - tudo isso, e muito mais, desempenhou seu papel nas infusões das bruxas. Paracelso obteve renome por utilizar algumas tradicionais poções mágicas para fins medicinais. Os Bórgia obtiveram infâmia por empregá-Ias como venenos sutis que destruíam a mente sem necessariamente destruir o corpo. Conta-se que o filósofo romano Lucrécio perdeu a sanidade devido a uma bebida mágica que sua mulher lhe deu para restaurar a sua afeição por ela. Existem antigas receitas de ungüentos de bruxas que contêm ópio e cantárida. Não é difícil imaginar que espécie de sonhos irromperiam no sono assim induzido. C. S. Ollivier, em seu recente livro Analysis af Magic and Witchcraft, opina que a assistência ao Sabbat era amiúde obtida através de sonhos induzidos por drogas.
Venenos sutis exercem também um papel na eficácia das maldições, sendo o método favorito fazer um talismã de bronze, cobre ou chumbo, e prendê-lo discretamente no fundo de um vaso de beber ou de uma panela. Que efeito tinha o talismã, eis um dado conjectural, mas não há dúvida pelo menos quanto ao efeito do chumbo, que se dissolve constantemente em pequenas quantidades, e do verdete nos alimentos.
 (Autodesefa Psíquica - Dion Fortune)

Disseram-me que nos velhos tempos as bruxas conheciam uma erva chamada Kat que, quando misturada com incenso, despertaria o olho interior, o subconsciente, mas se outra erva, Sumach, não fosse adicionada à mistura, esta não poderia ser usada por muito tempo, já que produziria alucinações. Se ambas fossem usadas corretamente, era possível sair do corpo. Infelizmente, elas não sabem que ervas eram essas; mas diz-se que crescem na Inglaterra. Dizem que, se respirar incenso com Kat, a mulher se torna mais bonita, de forma que é possível que seja um cânhamo selvagem. Os feiticeiros usavam algo com o mesmo propósito e sua mistura continha cânhamo e muitos outros ingredientes para amortecê-lo. Muitas raças primitivas usam drogas para conseguir a elevação do espírito: coca na América do Sul, mescalina no México e muitas outras substâncias. Elas têm um efeito variável no sistema nervoso, trazendo o que pode ser a abertura do olho interior ou mesmo alucinações. O álcool tem o efeito de aumentar a precognição, como prova a Sociedade de Pesquisa Psíquica.
(Bruxaria Hoje - Gerald Gardner)


Como puderam ver, a visão de Dion Fortune sobre o assunto é meio antiquada em relação ao uso das drogas na magia cerimonial e muito preconceituosa quando se trata de bruxaria. Na sua época (décadas de 20 e 30), a Bruxaria ainda era um culto marginal e realizado às escondidas, e ela própria era muito cristã. Seu desenvolvimento mágico foi muito rápido devido à lembrança de suas vidas passadas, e com elas, suas habilidades psíquicas. Por isso ela não deve ter recorrido à nenhuma substância suspeita para fazer eclodir os seus poderes. 
Algumas drogas, como as psicotrópicas, abrem os chakras e às vezes rompem permanentemente a tela etérica que os protege, outras promovem um desdobramento astral total ou parcial. As viagens e alucinações são resultado da inundação de impressões psíquicas caóticas que a pessoa recebe, o que pode ser muito perigoso, considerando a companhia e o local em que esteja, ou seja, de como é o ambiente astral em que se encontra. Outras substâncias, como os analgésicos e narcóticos, por outro lado, entorpecem os sentidos astrais, fechando os chakras e densificando os corpos sutis. Muitos praticantes de magia evitam ao máximo tomar qualquer medicamento mais forte que uma aspirina, para não terem as suas habilidades prejudicadas.
Hoje em dia, uma variedade de ervas e drogas ainda são utilizadas em alguns ramos de bruxaria e Ordens de Magia. Mas os problemas são cada vez maiores e seu uso vem diminuindo bastante : o envolvimento com o crime organizado, a perda da sabedoria dos Antigos, a falta da simbiose mágica do sacerdote com o espírito (númen) da planta e a inconsistência do treinamento de muitos praticantes, levando-os apenas à viagens perigosas e ilusórias. Note que eu não encorajo e muito menos dou instruções para o uso magístico de substâncias químicas, mesmo porque é um conhecimento praticamente inacessível para um praticante solitário como eu. Um magista responsável desenvolve suas habilidades por árduo esforço e treinamento, para não depender de nenhum fator externo. Consulte a nossa seção de exercícios de treinamento!


P.S.: A caixa de pesquisa agora funciona!

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Advertência

O uso das técnicas, rituais e conhecimentos adquiridos no Além do Físico é de responsabilidade única e exclusivamente sua, caro leitor. Não me responsabilizo, em nenhum nível, pela má utilização de tais ferramentas mágicas e espirituais.

Quem sou eu

Minha foto
Faço Psicologia na USP, tenho 22 anos, sou bruxo, magista e médium, sempre em busca das verdades espirituais. Encontro prazer imenso na leitura, que nos possibilita viajar através de dimensões, espaço e tempo num folhear de páginas.

Postagens populares

Seguidores

Visitas

Qual a sua relação com o Mundo Não-Físico?

Google Analytics Alternative