Além do Físico

"Há mais coisas entre o céu e a terra do que supõe vossa vã filosofia"

Pesquisar





Olá pessoal! A pedido de uma leitora, postarei sobre a deusa Ísis. Mas como não tenho um culto pessoal dedicado a ela, transcrevo um trecho do livro Os Mistérios de Ísis - Seu Culto e Magia, Detraci Regula.

 
O Despertar de Ísis
A primeira hora da luz do dia

"Desperta em paz, Oh Senhora da Paz...
Deusa da Vida, Bela no Paraíso...'' 
-Padiusiri, do ''Hino para despertar Ísis em seu santuário ao amanhecer''.

À beira do deserto, pelas margens do Nilo, um distante cântico é ouvido quando o alvorecer corta o céu. No alto de um penhasco próximo ao mar, um templo de mármore solitário ressoa com um ode a Ísis que compete com o canto dos pássaros nas árvores.
Na praça do mercado, em Roma, o dono de uma taverna balança a cabeça, sabendo que ele está abrindo as portas tarde, porque os ritos de Ísis já começaram.
Não muito distante dali, o imperador de Roma ouve o rito matutino começar e decide que seria sábio de sua parte, política e espiritualmente, dedicar um novo templo a essa poderosa Deusa.
Na Inglaterra, uma mulher meio celta, meio romana, se emociona quando ante o tremer de um sistro a sacerdotisa, vestindo um manto, inicia o ritual.
Em uma solitária caravana no Caminho da Seda que leva á Ásia, um sacerdote viajante olha para o globo do sol, que nasce cor de laranja, através da poeira do deserto, e anseia pelos altos pilares esculpidos, decorados com pedras preciosas, nos magníficos templos de sua Deusa, a milhares de quilômetros.
No meio do Nilo, no reino da ilha de Meroe, Sua Majestade a Candake balança um sistro em uníssono com o cântico, orando para que a Deusa sorria aos seus esforços nesse dia de guerra.
Dentro de um navio, em mar revolto, o capitão roga a Ísis que salve a tripulação e a nave, ao mesmo tempo que um passageiro devotado a uma nova fé ouve as preces e se pergunta se essa suposta Deusa poderá, um dia, ser conquistada, uma vez que Sua influência é tão penetrante.
Em um acampamento bárbaro, nas profundezas das escuras florestas da Europa, um chefe que está retornando anuncia que seu filho receberá outro nome em honra a Serápis, o consorte de Ísis, cujo culto ele conheceu quando estava entre o mundo ''civilizado''.
Nas montanhas da Índia, um rei da linhagem entronada por Alexandre, O Grande, quando conquistou o Oriente, para diante de uma estatua de Ísis e presta reverência, em concordância, quando a sacerdotisa entoa as preces á Deusa, com versos parcialmente esquecidos.
Uma jovem, dedicada a Ísis até o dia de seu casamento, sonha com seu amado e corre para o templo na esperança de vê-lo entre a congregação.
Nos longos corredores da biblioteca de Alexandria, um estudante solitário sura as palavras da liturgia matutina enquanto se debruça sobre um antigo pergaminho, antes de apagar o lampião e deixar que a luz do alvorecer Dê vida ás palavras desbotadas a sua frente.

O Rito Matutino de Ísis

Nos diversos templos de Ísis, a liturgia matutinha para despertá-La era entoada a cada alvorecer. Embora as palavras fossem diferentes de templo para templo, e mudadas para se adequar ás especiais naturezas das manifestações de Ísis, o significado e o propósito do ritual de abertura permanecem os mesmos.
Depois que as horas da noite se vão, a imagem de Ísis, uma faísca da divina essência que deu vida ao templo, estava agora desperta, refrescada, ungida, vestida e presenteada com oferendas. Embora frequentemente as horas da noite fossem, mitologicamente, muito ocupadas para os Deuses e Deusas, e possuíssem seus próprios rituais e ritos, ainda assim, o amável despertar deles acontecia a cada alvorecer. O rito era cumprido sem falta, quer por apenas uma sacerdotisa em um santuário oculto no campo, quer por uma procissão de sacerdotes e sacerdotisas, cantores e entoadores, aglomerando-se pelas escuras câmeras de um templo.
Para Ísis, o despertar pela manhã deve tê-La feito sorrir, porque seus muitos aspectos e diversas funções parecem ter impedido qualquer chance de dormir e sonhar divinamente durante o dia. Como Rainha do Submundo, o ato de dormir e os sonhos e viagens astrais trazidos por ela são de Seu domínio privativo, auxiliada por seu companheiro, colega e sobrinho, o Deus com cabeça de chacal, Anúbis. E como protetora de Osíris, várias das horas da noite são Seu posto especial, quando Ela deve estar preparada para defender os mortos e as almas que dormem nos demônios da noite, que desejam fazer mal ás almas que estão sob os cuidados da Deusa.
Como Senhora da Luz e da Chama, Ísis é a senhora do Crepúsculo, e o brilho cor-de-rosa que precede o nascer do sol é Seu sorriso dando as boas-vindas ao novo dia. Tanto como uma Deusa do Sol quanto uma Deusa da Lua, Ela está presente no nascer e no pôr do sol, e como uma Deusa do ar, as brisas da manhã, principalmente as que vêm do frio norte, também carregam Sua essência. A Senhora das Plantas Verdes passa algumas horas da noite persuadindo as sementes e as folhas a desabrochar; as flores da manhã se abrem aos toques de Seus dedos.
Não é necessário, portanto, despertar a sempre vigilante Ísis. Mas agora, para que Suas Sacerdotisas, Seus sacerdotes e templos possam ser despertados espiritualmente e relembrados que, com esse novo dia, ela novamente reside com e dentro deles, a Deusa Ísis multiplica Sua presença para preencher cada um de Seus templos e permitir Seu despertar.

Prece para o despertar

Despertai, despertai, despertai,
Despertai em paz,
Senhora da paz,
Levantai em paz,
Levantai em beleza,
Deusa da Vida,
Bela no paraíso,
O céu está em paz,
A Terra está em paz,
Oh Deusa,
Filha de Nut
Filha de Geb,
Amada de Osíris,
Deusa rica em nomes!
Todo louvor a Vós
Todo louvor a Vós,
Eu Vos adoro
Eu Vos adoro
Senhora Ísis

Versão Egípcia
Nehes, nehes, nehes
Nehes em hotep
Nehes em neferu
Nebet hotepet
Weben em hotep
Weben em neferu
Nutjert em Ankh,
Nefer em pet!
Pet em hotep
Ta em hotep
Nutjert sat Nut
Sat Geb, Merit Ausar;
Nutjert asha renu!
Anekh brak
Anekh brak
Tua a atu
Tu a atu
Nebet Aset!

Qualquer pessoa pode realizar esse rito. O balançar de um sistro pode ser acrescentado para iniciar e encerrar a observância. Embora seja mais adequado para a manhã, ele pode ser realizado em qualquer lugar, sob quaisquer condições. Também pode ser usado a qualquer tempo e lugar, quando você precisar despertar para a presença do divino. Pode fazer o rito em um lugar sagrado escolhido, se tiver um. Se tiver um estátua ou desenho de Ísis, ou simplesmente um livro aberto contendo a Sua imagem, acenda uma vela á frente e recite as palavras do rito.
Depois de recitar a oração, fique alguns instantes em silêncio. Se possível, deixe a vela queimar por algum tempo. Quando extinguir a chama, espere até que a ponta do pavio tenha parado de brilhar e o ultimo fio de fumaça tenha se dissipado. Essa atitude mostra respeito para com a Deusa e propicia um encerramento para o rito. Você pode, ainda, espalhar a fumaça do pavio apagado sobre a cabeça, para purificação e benção.
Acredita-se que todos os verdadeiros santuários de Deuses e Deusas mantêm um altar com fogo perpétuo. Na verdade, isso é um modo de testar uma visão astral, porque um templo genuinamente contatado terá a luz do altar brilhando, enquanto áreas consagradas, que se parecem com templos, podem não tê-la. Você pode desejar manter o fogo do altar visualizando uma esfera brilhante emanando da vela e envolvendo-a. A chama mental desempenhará a função de manter o espaço do templo ativo, se as circunstâncias não permitirem a manutenção da chama física, muito agradável a seus sentidos.
Ao realizar o rito, lembre-se sempre de que não está venerando a imagem, e sim a força intangível, onipotente e ao mesmo tempo pessoal que você escolheu para que fosse lembrada através das linhas da representação que está a sua frente. As imagens, quer sejam desenhadas, entalhadas, pintadas ou escritas, são lentes que transmitem e dão cor á energia divina . Com o tempo, quando obter energia divina através delas, algumas imagens físicas assumem um espírito próprio, formando uma aliança muito próxima com a divindade cuja essência a imagem absorveu. Mas isso não é precisamente idêntico á vasta reserva de energia divina por trás da própria imagem.
Quando realizar o Rito Matutinho, você pode recitar a versão egípcia ou a em sua língua. Eu gosto de usar a egípcia como reconhecimento das raízes ancestrais de Ísis, mas qualquer língua é aceitável. Lembre-se de que o objetivo da oração e do ritual é conduzi-lo ao correto estado de espírito e mente para se comunicar com sua divindade. Os Deuses verdadeiros estão sempre prontos para escutar e entendem completamente todas as línguas. Nós é que precisamos nos ajustar e alcançar a harmonia.
Embora seja suficiente apenas entoar a oração em voz alta ou em sua mente, é possível expandir o rito para torná-lo mais parecido com o antigo ritual. A maioria dos templos possuía pequenas estátuas de Deuses e Deusas, mantidas em pequenas salas nos santuários.
Nessas salas ficava o NAOS, ou arca do santuário - uma caixa decorada de tamanho apropriado para a estátua. Durante o último ritual da noite, aproximadamente á meia-noite, o sacerdote responsável pelo ofício reverentemente, fechava as portas e lacrava o santuário, geralmente amarrando as trancas das portas com um cordão e colocando um lacre de cera ou argila sobre o nó. Algumas versões desse rito identificam o selo de argila como a ''Carne de Ísis'', explicando que, embora o selo seja quebrado, é a argila, e não a Deusa, que será destruída.
Pela manhã, quando o rito matutino era realizado, os sacerdotes responsáveis se aproximavam, entoando as palavras, ao mesmo tempo que o incenso purificava o ar. O mais alto sacerdote, ou sacerdotisa, se aproximava do santuário e o abria. Lampiões eram acesos, e as oferendas antigas, retiradas. Uma caixa especial - MERIT - continha os óleos e outros itens necessários para as estátuas ao despertar. Essas caixas eram oblongas, decoradas com penas de avestruz, símbolo de Maat, a personificação da justiça e da verdade, viradas para dentro, em cada canto.
A estátua era, então, lavada, ungida e vestida, Para as estátuas grandes, o processo envolvia roupas de verdade, frequentemente doadas como oferendas por adoradores ricos ou feitas pelos tecelões do templo. As estátuas menores recebiam uma muda de joias ritualísticas ou eram decoradas com mantos de tecido de alta qualidade, colocados sobre os ombros.
No Egito, em Abidos, um local sagrado há muito tempo dedicado a Osíris, marido e irmão de Ísis, o iniciado responsável pelo ofício passava primeiramente por uma purificação, geralmente um ritual de limpeza com água e, então, oferecia incenso no saguão exterior, fora da sala onde o santuário era mantido. Enquanto o sacerdote realizava essa tarefa, o seguinte hino a Osíris era entoado:

Rito matutino a Osíris

Eu venho á Sua presença, Oh Grandioso
após ter sido purificado.
Quando passei pela Deusa tefnut, Ela me fez puro.
Eu sou um sacerdote, e o filho de um sacerdote deste templo.
Eu sou um sacerdote, e eu vim fazer o que deve ser feito.
O sacerdote responsável, então, seguia para o santuário de Osíris e abria o lacre de argila, entoando:
A argila está quebrada
E o lacre está solto
Que está porta possa ser aberta
E todo mal em mim
Eu atiro no chão
Como essa argila quebrada.
Após algumas cerimônias adicionais mais simples, o sacerdote se aproximava da estátua de Osíris e entoava o hino do Despertar, parte do qual está reproduzida aqui:
Paz a você, Deus,
Paz a você, Deus,
A Alma Viva
Conquistador de Seus inimigos
Sua Alma está comigo,
Sua imagem está perto de mim,
Eu sou purificado em Sua presença.

Oferendas de alimentos, leite, cerveja ou vinho eram, apresentadas á estátua. Nos templos mais ricos, apresentava-se apenas uma fração simbólica das muitas oferendas trazidas pelos devotos ou produzidas nas terras do templo. Mesmo essas oferendas, após ficarem algumas horas em frente á estátua, ou na hora do rito seguinte, eram removidas e distribuídas aos pobres ou consumidas pelos sacerdotes, estudantes, pacientes e outras pessoas que dependiam do templo para a sua subsistência.
Acima de tudo, esteja alegre na realização do Rito Matutino. Um novo dia começa repleto de possibilidades que vão além de nossa imaginação, mas que estão facilmente ao alcance da Deusa e daqueles a quem Ela estende Sua ajuda e amor.
---


Achei também essa meditação com a deusa Ísis, do site da Abrawicca. Confira aqui.

2 comentários:

Muito legal mesmo!!

Passei por aqui, gostei e fiquei, já estou seguindo!!!
Beijo grande!
Lisa do blog www.muraldecristal.blogspot.com.br

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Advertência

O uso das técnicas, rituais e conhecimentos adquiridos no Além do Físico é de responsabilidade única e exclusivamente sua, caro leitor. Não me responsabilizo, em nenhum nível, pela má utilização de tais ferramentas mágicas e espirituais.

Quem sou eu

Minha foto
Faço Psicologia na USP, tenho 22 anos, sou bruxo, magista e médium, sempre em busca das verdades espirituais. Encontro prazer imenso na leitura, que nos possibilita viajar através de dimensões, espaço e tempo num folhear de páginas.

Postagens populares

Seguidores

Visitas

Qual a sua relação com o Mundo Não-Físico?

Google Analytics Alternative