Além do Físico

"Há mais coisas entre o céu e a terra do que supõe vossa vã filosofia"

Pesquisar





Númen Espiritual
Livro: Bruxaria Hereditária
Autor: Raven Grimassi


De acordo com antigos ensinamentos, em todos os objetos vive um poder conscien­te, conhecido como númen. Em algumas tradições não italianas, é referido como mana, embora na realidade mana não seja exatamente o mesmo que númen; os dois são semelhantes, exceto com relação à consciência. Mana é tradicionalmente visto como um tipo de energia bruta ou força, que pode ser recolhida e empregada com objetivos mágicos. Númen é uma força residente que é ao mesmo tempo energia e consciência. Númen tem uma percepção tanto de si mesmo quanto dos arredores; abriga um certo sentimento e é ele que responde dentro de um objeto quando se sente que é certo tocá-lo (aquilo que uma pessoa experimenta quando escolhe um cristal ou qualquer outro instrumento).
Quando os antigos ocultistas estabeleceram as correspondências mágicas, comu­mente associadas hoje a ervas e cristais, foi a emanação do númen especifico resi­dente que os induziu a fazer essas conexões. Esta é a razão pela qual plantas e cristais podem ter certas propriedades mágicas: é o poder de seu númen espiritual. É preci­so se comunicar com o númen, geralmente por meio de imagem visual e/ou sons (vibração), a fim de estabelecer o elo necessário para empregar seu poder, senão, tudo o que fica é um belo bloco de formação mineral ou uma perfumada pilha de material herbáceo morto. Em essência, o númen pode ser visto como uma centelha divina dentro da matéria; não é, entretanto, uma alma viva ou o próprio espírito, mas simplesmente um reflexo da consciência Divina. De certo modo, pode ser entendido corno uma impressão divina ou urna forma de energia contagiante, dei­xada pela mão da Fonte de Todas as Coisas. O Mana, por outro lado, é mais como urna radiação ou calor que emana do objeto — um vazio de ação independente e cujo efeito sobre outros objetos está limitado pela proximidade.
Uma das artes da Bruxaria é transmitir imagens mentais (formas de pensamento) ao númen; através disso, uma comunicação mágica se estabelece entre a Bruxa e o cristal ou erva etc. Feito isso, o objeto pode ser empregado de acordo com o desejo ou necessidade da Bruxa, como é costume com o lançamento de um feitiço e coisas simi­lares. No caso de ervas, é melhor começar com a semente e continuar com a imagem mental quando o broto aparece e a planta cresce totalmente. Deste modo, o númen da erva pode formar e condensar o efeito mágico necessário que se deseja dele.
Para a mágica do cristal, é preciso primeiro despertar o cristal antes de transmi­tir imagens mentais a ele, ou o efeito é enfraquecido e a carga é diminuída. Tradicionalmente, para despertá-lo deve-se bater no cristal três vezes com uma outra pedra (ou outro cristal), enquanto se olha para a lua cheia. O termo "desper­tar" neste contexto significa alinhar o cristal com a pessoa que o possui. Durante as cerimônias de iniciação, o iniciador pode bater no cristal do iniciante com seu pró­prio cristal três vezes e assim passar o poder para ele. Existe urna certa beleza em possuir um cristal que recebeu a carga do cristal de um iniciador (cujo cristal tam­bém a recebeu de outro e assim por diante).

----

Synthema
Livro: Magia na prática para iniciantes
Autora: Brandy Williams

Synthema era o termo usado nos tempos helênicos para descrever os objetos que tinham o poder dos planetas trancados dentro deles. Atualmente reconhecemos que determinadas cores, pedras, plantas, animais e outros objetos contêm a energia dos planetas. Os Helenitas reuniriam um número de objetos que contivessem a energia do mesmo planeta, no desejo de recolher um tipo de massa crítica daquela força planetária, os synthema. Utilizamos esses princípios na criação dos trabalhos planetários hoje em dia. Por exemplo, se estou fazendo um trabalho do Sol, posso montar um altar, forrá-lo com um pano amarelo, colocar seis velas amarelas, acender um incenso de âmbar e usar uma joia de ouro.

2 comentários:

Há o simbolo da imortalidade? Se sim, poderia postar uma foto dele e mais sobre ele? Obrigada desde já. ^^

O ankh egípcio é símbolo da vida eterna, entre outras coisas. Eu postei um artigo sobre símbolos mágicos aq, neste link: http://alemdofisico.blogspot.com/2010/05/simbolos-misticos.html

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Advertência

O uso das técnicas, rituais e conhecimentos adquiridos no Além do Físico é de responsabilidade única e exclusivamente sua, caro leitor. Não me responsabilizo, em nenhum nível, pela má utilização de tais ferramentas mágicas e espirituais.

Quem sou eu

Minha foto
Faço Psicologia na USP, tenho 22 anos, sou bruxo, magista e médium, sempre em busca das verdades espirituais. Encontro prazer imenso na leitura, que nos possibilita viajar através de dimensões, espaço e tempo num folhear de páginas.

Postagens populares

Seguidores

Visitas

Qual a sua relação com o Mundo Não-Físico?

Google Analytics Alternative