Além do Físico

"Há mais coisas entre o céu e a terra do que supõe vossa vã filosofia"

Pesquisar





A lenda da Descida da Deusa é um dos textos mais sagrados da teologia Wiccana. Ele nos ensina o sacrifício do Ego para atingir a plenitude do Verdadeiro Self, despojado de todas as máscaras de poder, autoridade, posição social, personalidade, crenças, status, etc; evidenciado no mito pela Deusa despojando-se de todos os seus acessórios e vestimentas por exigência dos Guardiões. Também transmite o ensinamento sagrado da reencarnação, parte natural e inexorável do ciclo de Vida e Morte, Criação e Destruição - sendo o Amor a força que controla os Mistérios.
A Descida da Deusa, acredita-se que tenha sido adaptada por Gardner do mito original da Bruxaria Italiana, divulgada por Charles Leland. Abaixo, as versões originais do mito:




A Lenda Strega da Descida
A Lenda da Descida, direto da Strega. Assim como Kore vira Perséfone, Tana vira Anthea. Mas, no começo do mito, ela ainda é Tana. Dis é a face sombria do deus Janus de duas faces, é o Sol do Mundo Inferior.

"Tana, nossa Senhora e Deusa, queria resolver todos os mistérios, até o Mistério da Morte. E então ela viajou até o Mundo Inferior em seu barco, no Sagrado Rio da Descida. Então sucedeu que ela chegou diante do primeiro dos sete portais para o Mundo Inferior. E o Guardião a desafiou, pedindo um de seus ornamentos como pedágio, porque nada pode ser recebido sem que algo seja dado em troca. E em cada um dos portais à deusa foi solicitado que pagasse o preço da passagem, pois os Guardiães disseram a ela: "Dispa seus ornamentos, e deixe suas jóias, porque nada você deve trazer com você neste nosso reino."

Então Tana abandonou suas jóias e sua veste aos Guardiães, e foi amarrada como todos os vivos devem ser quando buscam entrar no reino da Morte e dos Poderosos. No primeiro portal ela deu seu cetro, no segundo sua coroa, no terceiro seu colar, No quarto seu anel, no quinto seu cinto, no sexto suas sandálias, e no sétimo seu vestido. Tana ficou nua e foi apresentada diante de Dis, e tamanha era a sua beleza que ele ajoelhou-se quando ela entrou. Ele deitou sua coroa e sua espada aos pés dela, dizendo: "Abençoados sejam seus pés, que a conduziram por esse caminho." Então ele levantou e disse a Tana: "Fique comigo, eu imploro, e receba meu toque sobre seu coração."

E Tana replicou a Dis: "Mas eu não amo você, por que você faz com que todas as coisas que eu amo, e com as quais me delicio, feneçam e morram?"

"Minha Senhora", replicou Dis, "É contra a idade e o destino que você fala. Eu não posso fazer nada, porque a idade faz com que as coisas envelheçam, mas quando os homens morrem no fim de seu tempo, Eu dou a eles repouso, paz, e força. Por um tempo eles moram na lua, com os espíritos da lua; eles então retornam ao reino dos vivos. Mas você é tão adorável, eu peço a você que não retorne, mas permaneça comigo."

Mas ela respondeu: "Não, porque eu não amo você." Então Dis disse: "Se você recusa a me aceitar, então você deve se ajoelhar perante o açoite da morte." A deusa respondeu a ele: "Se tiver de ser, que seja, melhor assim!" Então Tana ajoelhou-se em submissão diante da mão da morte, e ele a açoitou com mão tão terna que ela gritou: "Eu conheço a sua dor, e a dor do amor."

Dis ergueu-a e disse: "Abençoada seja, minha Rainha e Senhora." Então ele deu a ela os cinco beijos da iniciação, dizendo "Só através disso você pode alcançar o conhecimento e a alegria."

E ele ensinou a ela todos os mistérios dele, e deu a ela o colar que é o círculo do renascimento. E ela ensinou a ele seus mistérios do cálice sagrado que é o caldeirão do renascimento.

Eles se amaram e uniram-se um com o outro, e por um tempo Tana morou no reino de Dis.

Pois há três mistérios na vida do homem que são: Nascimento, Vida, e Morte (e o amor contola eles todos).

Para sentir amor, você deve retornar no mesmo tempo e lugar que aqueles que você amou antes. E você deve encontrar, reconhecer, lembrar, e amá-los de novo. Mas para renascer você deve morrer e ser refeito em um novo corpo. E para morrer você deve nascer, mas sem amor você não nascerá entre sua gente.

Mas nossa Deusa se inclina a favorecer o amor, a alegria, a felicidade. Ela protege e guarda com carinho suas secretas crianças nessa vida e na próxima. Na morte ela revela o caminho para a comunhão dela, e na vida ela ensina a elas a magia do mistério do Círculo (o qual é colocado entre os mundos dos Deuses e dos homens)." 
A Lenda da Subida da Deusa
"Então veio o tempo, no Reino Escondido das Sombras em que Tana (Anthea) deu à luz a criança do nosso Grande Senhor Sombrio. E os Senhores dos Quatro Quadrantes vieram e olharam o Deus recém nascido. Então eles falaram a Tana da miséria do povo que vivia sobre o Mundo, e como eles sofriam em frio e escuridão. Então Tana pediu aos Senhores para levarem Seu filho ao Mundo, e então o povo rejubilou-se pois o Deus Sol havia retornado.

Assim sucedeu que Tana deu a Luz para o Mundo, e para suas muitas crianças. Então ela viajou de volta ao Mundo e foi recebida com grande celebração.

Então Tana viu o esplendor do novo deus quando Ele atravessava os céus, e ela O desejou. Mas a cada noite Ele retornava ao Reino Escondido e não podia ver a beleza da deusa no céu noturno.

Uma manhã a deusa levantou quando o deus ia ao Reino Escondido, e Ela banhou-se nua no lago sagrado de Nemi. Então os Senhores dos Quatro Quadrantes apareceram a Ele e disseram: "Olhe a doce beleza da Deusa da Terra." E Ele olhou pra Ela e foi fulminado por sua beleza e então Ele desceu sobre a terra na forma de um grande veado.

"Eu vim para brincar ao lado do seu banho.", Ele disse, mas Tana mirou o veado e disse: "Você não é um veado, mas um deus!" Então Ele respondeu: "Eu sou Faunus, deus da floresta. Quando eu fico sobre o mundo E também toco o céu e eu sou Janus o sol. Mas acima de tudo isso eu sou Tagni, o primeiro nascido de todos os Deuses!"
Tana sorriu e ergueu-se da água em toda a Sua beleza. "Eu sou Fana, deusa da floresta, e quando estou sobre você eu sou Jana, a deusa da lua. Mas acima de tudo isso eu sou Tana, primeira nascida de todas as Deusas!"

E Tagni pegou-A pela mão e juntos eles caminharam nos prados e florestas, contando os contos de seus antigos mistérios.Eles se amaram e foram Um e juntos eles governaram o Mundo. Ainda que sempre apaixonada, Tana sabia que o deus iria logo passar so Reino Escondido e a Morte retornaria ao Mundo. Então ela deveria descer e abraçar o Senhor Sombrio, e dar à luz o fruto de sua união.
As Streghe são as descendentes dos Etruscos, e os Etruscos vieram da Síria, na Mesopotâmia. O mito de Kore/Perséfone veio de Creta, e a civilização cretense começou como uma colônia de Mari (Suméria). Daí a semelhança entre essa lenda Strega e a lenda de Kore com o mito da Descida de Ishtar.  
Chave interpretativa:
7 chakras ligados a 7 corpos sutis ligados a 7 planos de existência.
Decifre você mesmo. 

1 comentários:

gostei desta história

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Advertência

O uso das técnicas, rituais e conhecimentos adquiridos no Além do Físico é de responsabilidade única e exclusivamente sua, caro leitor. Não me responsabilizo, em nenhum nível, pela má utilização de tais ferramentas mágicas e espirituais.

Quem sou eu

Minha foto
Faço Psicologia na USP, tenho 22 anos, sou bruxo, magista e médium, sempre em busca das verdades espirituais. Encontro prazer imenso na leitura, que nos possibilita viajar através de dimensões, espaço e tempo num folhear de páginas.

Postagens populares

Seguidores

Visitas

Qual a sua relação com o Mundo Não-Físico?

Google Analytics Alternative