Além do Físico

"Há mais coisas entre o céu e a terra do que supõe vossa vã filosofia"

Pesquisar





Esta é a época do retorno da primavera; tempo de alegria, o tempo da semente, quando a vida brota da terra e as correntes do inverno são rompidas. Luz e escuridão são iguais: é um tempo de equilíbrio, quando todos os elementos dentro de nós devem ser conduzidos para uma nova harmonia. O príncipe do sol estende sua mão e a donzela da escuridão retorna de seu sono mágico, com o seu manto de chuva fresca, com o doce aroma do desejo em seu hálito. Onde Eles pisam, flores silvestres aparecem; quando dançam, o desespero torna-se esperança; a tristeza, alegria; a necessidade, abundância. 
 Que os nossos corações se abram com a Primavera! Abençoada Seja!

Deusa Eostre
 Abaixo, uma sugestão de ritual, do livro "A Bruxa Solitária", Rae Beth. Para outras sugestões, veja meu artigo do ano passado aqui.



Depois de lançar o círculo, invoquem a Rainha e o Rei.
É o Festival da Vida Nova. Agora o inverno finalmente se despede, junto com o que a ele pertence. A Deusa é a Virgem da Primavera, e o Deus é jovem e ardente. Sua união traz uma nova ordem à existência: tudo é diferente. Surgem as flores primaveris sobre a terra, onde caminha a Deusa. E os animais do campo e da floresta e os pássaros do ar se preparam para trazer a juventude.
Há cascas de ovos quebrados, a terra expõe seus brotos, a riqueza de ovos se transforma. Calor. Fertilidade. Este é o Festival do Novo Equilíbrio, enquanto o Sol avança e ganha força.
Após a invocação, dancem sempre orientando-se pelos ponteiros do relógio ao redor do círculo. Nesta ocasião, devem cantar, homenageando a mudança. Pode ser algo assim:

Abram o caminho, atravessem-no.
Mudem! Sol e Terra juntos,
comprometidos para sempre, dentro e fora,
O Deus do Sol estende sua mão,
A Rainha Primaveril dança pela terra.
Brotos de Primavera, em toda parte.

Visualizem a energia criada pela dança como um cone dourado de luz. Dirijam isto para o caldeirão, no centro do círculo, usando o poder do pensamento. Agora, acendam uma terceira vela, que deverá estar dentro do caldeirão. Ao fazê-lo, digam:
Acendo esta vela ao Sol.

Também no interior do caldeirão, ao redor da vela, coloquem flores primaveris.
Tirem-nas e as elevem acima do altar. Digam:
Que a bênção da Rainha da Primavera caia sobre estas flores, o florescer de nova vida.

Levem algumas flores para o canto leste. Ofereçam-nas, dizendo:
Que haja um novo conhecimento sobre a Terra, uma nova consciência e sabedoria das necessidades da Mãe Terra. Ao brotarem, mais uma vez, as flores da primavera, que estas também cresçam.

Ponham as flores no chão ao lado do incenso.
Retornem ao altar para buscar mais flores (sempre andando no sentido dos ponteiros do relógio), levem-nas ao Sul, ofertando-as com estas palavras ou similares:
Que retorne a alegria de viver. Na canção, na dança, no amor e na beleza de todo o mundo natural. Que floresça.

Deixem as flores no chão ao lado da vela. Agora levem flores ao oeste em oferenda.
Digam: Que haja paz no mundo. Que floresça.

Deitem as flores no chão ao lado do incenso. Retornem ao altar.
Levem as flores ao redor do círculo, de norte a norte outra vez. Ergam-nas dizendo:

Que retornem as matas verdes, a liberdade e o equilíbrio da vida natural. Que floresçam.

Ponham as flores no chão, diante do altar. Sentem-se ao lado do caldeirão. Visualizem o florescer de uma nova consciência, alegria de viver e paz, e as matas verdes voltando. As pessoas em harmonia umas com as outras e com todas as formas de vida sobre a Terra. Visualizem este florescimento ao redor do mundo, o olhar e o perfume de tudo sendo estimulados, encorajados, pela volta das flores primaveris. Se a imagem parecer demasiado frágil, lembrem-se de que as flores podem quebrar até o concreto. Após o rito, vocês poderão juntá-las e colocá-las em um vaso.
E este é o feitiço das flores da primavera.
Peguem um dos ovos da tigela sobre o altar. Elevem-no, dizendo:
Abençoada seja a vida dentro da vida.
Agora dirijam-se ao centro do círculo e sentem-se ao lado do caldeirão outra vez. Em seguida recurvem os corpos, as cabeças, como se estivessem no interior de uma casca de ovo. Vocês se acham no seu espaço-ovo e estão prestes a chocar. Pensem no ovo que seguraram no altar. A vida está inclusa, crescendo na escuridão de uma casca. As personalidades invernais de vocês foram assim. Seus planos de inverno se incubaram vagarosamente. Sintam as novas pessoas que emergem daí, novamente prontas a sair sob o Sol. E visualizem-se crescendo para romper a casca, quebrando, estilhaçando os seus invólucros. Vocês saem, novas vidas vivendo uma nova fase vital. A maneira antiga perdeu-se. Os elementos precisam ser colocados em novo equilíbrio.

Agora dirijam-se a cada um dos "quartos", por sua vez. Primeiro o leste. Sentem-se quietamente com os olhos fechados e pensem nas suas mentes, nos seus estados mentais, nas atitudes. Peçam aos Espíritos do Ar que guiem os seus pensamentos, para que possam alcançar uma nova harmonia. Ouçam com cuidado as mensagens internas e procurem recordar quaisquer imagens visualizadas. Estas podem ser importantes, e vocês irão entendê-las mais tarde, se não já. Não tentem analisá-las.
Agora, dirijam-se ao "quarto" sul. Sentem quietos e peçam aos Espíritos Guardiães do Fogo para guiá-los era vitalidade e mudanças. De novo, procurem ouvir as mensagens. Lembrem-se, o sul é também o "quarto" da paixão.
Visitem igualmente o oeste e o norte, pedindo aos Espíritos da Água que lhes dêem a harmonia das emoções, e aos Espíritos da Terra que lhes dêem harmonia física. Ouçam e cuidem das mensagens.
Bem, este é todo o trabalho mágico para o Equinócio da Primavera, a não ser que desejem abençoar todos os ovos na tigela e ofertá-los como dádivas de Eostar às suas famílias e amigos.

Coloquem as mãos sobre a tigela e digam:
Que estes sejam abençoados e consagrados, em nome da Rainha da Primavera e do Seu consorte, o Jovem Deus.
Peguem a tigela, caminhem ao redor do círculo em direção à direita, passando-a pela fumaça do incenso e pela chama da vela (sul), borrifando-a com água e, ao norte, levando a tigela à pedra.
Digam:
Que os que receberem estas dádivas sejam ricos de uma nova vida fértil. Que seus sonhos se tornem realidade, e seus planos sejam abençoados pelo Sol.

Abençoem o pão e o vinho e encerrem a comunhão. Depois agradeçam ao Deus e à Deusa pelas graças, dizendo-lhes: Salve e adeus. Abram o círculo.

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Advertência

O uso das técnicas, rituais e conhecimentos adquiridos no Além do Físico é de responsabilidade única e exclusivamente sua, caro leitor. Não me responsabilizo, em nenhum nível, pela má utilização de tais ferramentas mágicas e espirituais.

Quem sou eu

Minha foto
Faço Psicologia na USP, tenho 22 anos, sou bruxo, magista e médium, sempre em busca das verdades espirituais. Encontro prazer imenso na leitura, que nos possibilita viajar através de dimensões, espaço e tempo num folhear de páginas.

Postagens populares

Seguidores

Visitas

Qual a sua relação com o Mundo Não-Físico?

Google Analytics Alternative