Além do Físico

"Há mais coisas entre o céu e a terra do que supõe vossa vã filosofia"

Pesquisar





Esta é a época do retorno da primavera; tempo de alegria, o tempo da semente, quando a vida brota da terra e as correntes do inverno são rompidas. Luz e escuridão são iguais: é um tempo de equilíbrio, quando todos os elementos dentro de nós devem ser conduzidos para uma nova harmonia. O príncipe do sol estende sua mão e a donzela da escuridão retorna de seu sono mágico, com o seu manto de chuva fresca, com o doce aroma do desejo em seu hálito. Onde Eles pisam, flores silvestres aparecem; quando dançam, o desespero torna-se esperança; a tristeza, alegria; a necessidade, abundância. 
 Que os nossos corações se abram com a Primavera! Abençoada Seja!

Deusa Eostre
 Abaixo, uma sugestão de ritual, do livro "A Bruxa Solitária", Rae Beth. Para outras sugestões, veja meu artigo do ano passado aqui.



Depois de lançar o círculo, invoquem a Rainha e o Rei.
É o Festival da Vida Nova. Agora o inverno finalmente se despede, junto com o que a ele pertence. A Deusa é a Virgem da Primavera, e o Deus é jovem e ardente. Sua união traz uma nova ordem à existência: tudo é diferente. Surgem as flores primaveris sobre a terra, onde caminha a Deusa. E os animais do campo e da floresta e os pássaros do ar se preparam para trazer a juventude.
Há cascas de ovos quebrados, a terra expõe seus brotos, a riqueza de ovos se transforma. Calor. Fertilidade. Este é o Festival do Novo Equilíbrio, enquanto o Sol avança e ganha força.
Após a invocação, dancem sempre orientando-se pelos ponteiros do relógio ao redor do círculo. Nesta ocasião, devem cantar, homenageando a mudança. Pode ser algo assim:

Abram o caminho, atravessem-no.
Mudem! Sol e Terra juntos,
comprometidos para sempre, dentro e fora,
O Deus do Sol estende sua mão,
A Rainha Primaveril dança pela terra.
Brotos de Primavera, em toda parte.

Visualizem a energia criada pela dança como um cone dourado de luz. Dirijam isto para o caldeirão, no centro do círculo, usando o poder do pensamento. Agora, acendam uma terceira vela, que deverá estar dentro do caldeirão. Ao fazê-lo, digam:
Acendo esta vela ao Sol.

Também no interior do caldeirão, ao redor da vela, coloquem flores primaveris.
Tirem-nas e as elevem acima do altar. Digam:
Que a bênção da Rainha da Primavera caia sobre estas flores, o florescer de nova vida.

Levem algumas flores para o canto leste. Ofereçam-nas, dizendo:
Que haja um novo conhecimento sobre a Terra, uma nova consciência e sabedoria das necessidades da Mãe Terra. Ao brotarem, mais uma vez, as flores da primavera, que estas também cresçam.

Ponham as flores no chão ao lado do incenso.
Retornem ao altar para buscar mais flores (sempre andando no sentido dos ponteiros do relógio), levem-nas ao Sul, ofertando-as com estas palavras ou similares:
Que retorne a alegria de viver. Na canção, na dança, no amor e na beleza de todo o mundo natural. Que floresça.

Deixem as flores no chão ao lado da vela. Agora levem flores ao oeste em oferenda.
Digam: Que haja paz no mundo. Que floresça.

Deitem as flores no chão ao lado do incenso. Retornem ao altar.
Levem as flores ao redor do círculo, de norte a norte outra vez. Ergam-nas dizendo:

Que retornem as matas verdes, a liberdade e o equilíbrio da vida natural. Que floresçam.

Ponham as flores no chão, diante do altar. Sentem-se ao lado do caldeirão. Visualizem o florescer de uma nova consciência, alegria de viver e paz, e as matas verdes voltando. As pessoas em harmonia umas com as outras e com todas as formas de vida sobre a Terra. Visualizem este florescimento ao redor do mundo, o olhar e o perfume de tudo sendo estimulados, encorajados, pela volta das flores primaveris. Se a imagem parecer demasiado frágil, lembrem-se de que as flores podem quebrar até o concreto. Após o rito, vocês poderão juntá-las e colocá-las em um vaso.
E este é o feitiço das flores da primavera.
Peguem um dos ovos da tigela sobre o altar. Elevem-no, dizendo:
Abençoada seja a vida dentro da vida.
Agora dirijam-se ao centro do círculo e sentem-se ao lado do caldeirão outra vez. Em seguida recurvem os corpos, as cabeças, como se estivessem no interior de uma casca de ovo. Vocês se acham no seu espaço-ovo e estão prestes a chocar. Pensem no ovo que seguraram no altar. A vida está inclusa, crescendo na escuridão de uma casca. As personalidades invernais de vocês foram assim. Seus planos de inverno se incubaram vagarosamente. Sintam as novas pessoas que emergem daí, novamente prontas a sair sob o Sol. E visualizem-se crescendo para romper a casca, quebrando, estilhaçando os seus invólucros. Vocês saem, novas vidas vivendo uma nova fase vital. A maneira antiga perdeu-se. Os elementos precisam ser colocados em novo equilíbrio.

Agora dirijam-se a cada um dos "quartos", por sua vez. Primeiro o leste. Sentem-se quietamente com os olhos fechados e pensem nas suas mentes, nos seus estados mentais, nas atitudes. Peçam aos Espíritos do Ar que guiem os seus pensamentos, para que possam alcançar uma nova harmonia. Ouçam com cuidado as mensagens internas e procurem recordar quaisquer imagens visualizadas. Estas podem ser importantes, e vocês irão entendê-las mais tarde, se não já. Não tentem analisá-las.
Agora, dirijam-se ao "quarto" sul. Sentem quietos e peçam aos Espíritos Guardiães do Fogo para guiá-los era vitalidade e mudanças. De novo, procurem ouvir as mensagens. Lembrem-se, o sul é também o "quarto" da paixão.
Visitem igualmente o oeste e o norte, pedindo aos Espíritos da Água que lhes dêem a harmonia das emoções, e aos Espíritos da Terra que lhes dêem harmonia física. Ouçam e cuidem das mensagens.
Bem, este é todo o trabalho mágico para o Equinócio da Primavera, a não ser que desejem abençoar todos os ovos na tigela e ofertá-los como dádivas de Eostar às suas famílias e amigos.

Coloquem as mãos sobre a tigela e digam:
Que estes sejam abençoados e consagrados, em nome da Rainha da Primavera e do Seu consorte, o Jovem Deus.
Peguem a tigela, caminhem ao redor do círculo em direção à direita, passando-a pela fumaça do incenso e pela chama da vela (sul), borrifando-a com água e, ao norte, levando a tigela à pedra.
Digam:
Que os que receberem estas dádivas sejam ricos de uma nova vida fértil. Que seus sonhos se tornem realidade, e seus planos sejam abençoados pelo Sol.

Abençoem o pão e o vinho e encerrem a comunhão. Depois agradeçam ao Deus e à Deusa pelas graças, dizendo-lhes: Salve e adeus. Abram o círculo.



O Dia do Orgulho Pagão (Pagan Pride Day) é um evento mundial em que celebramos a diversidade e o orgulho de sermos pagãos. Participam também do evento pais,irmãos e amigos de pagãos que se juntam em uma rede mundial,confraternizando-se para uma grande amizade e aceitação religiosa.

O Dia do orgulho Pagão é um projeto sem fins lucrativos e desvinculado de qualquer empresa ou associação. O principal objetivo é a divulgação positiva das religiões pagãs como qualquer outra forma de religião,visando diminuir o preconceito e a discriminação que por séculos tomou o Paganismo no geral. Há um enorme sentimento de amizade,família,amor e paz entre os participantes.

Nesse dia,mesmo os que não participam dos eventos relacionados podem demonstrar seu orgulho de ser pagão usando em seu corpo uma fitinha violeta amarrada no braço, na bolsa,no cabelo,enfim,onde desejar,para mostrar que é pagão e se importa com a data. Muitos pagãos não ligam para o evento,também.
Organizadores

O Dia do Orgulho Pagão começou através de uma iniciativa de Cecylyna Dewr e Dagonet Dewr na Liga Pagã de Esclarecimento,uma organização fundada para o esclarecimento público a respeito das práticas pagãs. Desde então esse projeto vem crescendo e unido pagãos de todo o mundo para o fortalecimento de nosso modo de vida.

A maior representação ainda encontra-se nos Estados Unidos, mas pagãos do mundo inteiro estão lutando para o crescimento do projeto.

Todo bruxo, magista ou praticante espiritual, alguma vez em sua vida, terá de enfrentar os seres do Além. Uso esse termo tão clichê apenas para generalizar, englobando quaisquer espíritos, demônios, formas-pensamento, e outras entidades astrais. O conhecimento teórico ajuda, mas diante de uma situação emergentemente prática, você fica desnorteado e esquece tudo o que aprendeu - a não ser que já tenha praticado! Foi pelo que passei nesta semana - um amigo médium incorporou um espírito hostil inesperadamente, e o espírito queria agredir uma amiga nossa. Minha mente apagou-se, não havia nada a que eu pudesse recorrer. Mas graças ao inesperado magnetismo dessa amiga, ela mesma conseguiu mandar o ser embora.


Além disso, limpeza energética de pessoas e locais são parte essencial da prática mágica - são procedimentos cotidianos e preventivos. Banimentos são técnicas com caráter mais ofensivo, quando se sabe que há algo indesejável para expulsar.

Regras gerais para limpezas e banimentos:
- Lacre seus centros psíquicos e sua aura (com seu óleo pessoal, água consagrada, selos, etc.). Se possível e/ou necessário, lacre também seus orifícios físicos: os dois olhos, as duas orelhas, as duas narinas, a boca, os dois mamilos, o umbigo, o ânus, o pênis (homens) e a vagina e uretra (mulheres).
- Não baixe a sua guarda, haja o que houver, esteja sempre preparado para contra-atacar.
- Lidando com espíritos, use sua voz de comando, não entre em suas brincadeiras, não os subestime. A não ser que você esteja totalmente seguro de seu poder, deverá utilizar uma abordagem religiosa a qual o espírito responda, provavelmente cristã.
- Lembre-se que espíritos são, na maioria das vezes, pessoas sem um corpo físico! Sentem dor, são conscientes e podem estar apenas confusos.
- Sempre que possível, disponha um círculo e use seus instrumentos consagrados. Isto investe você com seu poder sacerdotal e dá uma segurança psicológica valiosa.
- Além de seu poder pessoal, empregue substâncias (físicas) que agem também no plano astral/espiritual: enxofre, sal grosso, pólvora, ácido nítrico, resinas e incensos, etc. Cuidado com estes materiais!
- Se possível, trabalhe sozinho ou com parceiros familiarizados com os processos envolvidos. Evite operar à presença de "cowans" (não-bruxos, não-iniciados, pessoas comuns).
- Se não se sentir preparado, não faça nada. As forças hostis podem se aproveitar de sua insegurança e aí você terá um problema próprio.

Para limpezas cotidianas, basta a defumação do cômodo com um incenso apropriado e borrifar água salgada consagrada. Para um banimento simples, veja a técnica que já postei anteriormente AQUI. Para um banimento mais complexo e eficaz, utilize a técnica abaixo, que foi retirada do livro Grimório Gótico, de Konstantinos.


Você não precisará de nenhum instrumento,e nem traçará o Círculo - pois deve estar pronto para situações em que isso não será possível. Mas para praticar, sinta-se a vontade para incorporar o que quizer ao procedimento. O ritual a seguir usa seu poder pessoal e energia divina.

Se a pessoa é afetada por seres negativos percebidos, sente-a no leste do quarto, olhando para oeste. Você deve estar a um metro e meio de distância, e certifique-se de que haja um espaço de cerca de três metros para criar um círculo, com a pessoa dentro dele.
Se for um quarto que esteja afetado, tenha a certeza de realizar esse ritual no meio dele, deixando um espaço livre para um circulo de cerca de 3 metros de circunferência.
De qualquer um dos modos, realizando o ritual para uma pessoa ou para um quarto, certifique-se de que haja um espaço livre, de 30 a 60 centímetros, a oeste de seu círculo. Você verá em breve por que isso é necessário.


Expulsando a Negatividade

Fique em pé na área do centro do circulo de três metros que tenha escolhido­. Se esse ritual estiver sendo realizado para urna pessoa, peça a ela para ficar sentada. Se a contenção dessa pessoa for exigida, então esse ritual pode não ser forte o suficiente para funcionar.
Feche os olhos e imagine que você está em pé entre duas formas de energia: urna abaixo e outra acima. A que está abaixo é uma esfera negra que representa o corpo astral da terra. Concentre-se em como essa esfera é sólida, antes de virar sua atenção para a que está acima.
Acima de você está um brilhante redemoinho prateado, brilhando na escuridão. Bem parecido com um redemoinho de luz cósmica, essa espiral é como um cone, com os seus braços conectados a um ponto luminoso bem acima de você. Os outros terminais desses braços de luz espalham-se ao seu redor e afundam na terra abaixo, bem dentro do círculo que esco­lheu. Esses braços lentamente giram no sentido horário e purificam a área que você escolheu purificar.
Agora, imagine esses braços lentamente começando a fechar ao mesmo tempo na sua direção. Diga:

O fogo Divino inteiro se aproxima. Que eu possa ser um útil recipiente.

À apenas trinta centímetros de distância de você, esses braços devem co­meçar a apertar-se, tornando-se quase como uma gaiola apertada de ener­gia estalando ao seu redor. Sinta a energia, mas não a tema. Ela está apenas queimando o mal.
Continue a ver os raios se aproximando. Deixe que penetrem sua pele como uma bainha resplandecente de luz prateada; sinta-os formando um sólido raio que passa através de seu centro, de sua espinha, conectando o abaixo com o acima.
Desfrute do êxtase por um instante.
Com os olhos ainda fechados, olhe para cima e note que acima de você agora o remoinho tornou-se uma maciça esfera prateada. Muito gran­de para ser compreendida, a esfera possui energia demais para ser contida no raio que passa por você. Veja quanta energia extra está crepitando ao redor do ponto onde o raio emerge da esfera.
Erga os braços esticados para cima e diga:

O fogo divino espera por meu uso.

Sinta a energia excessiva e crepitante tocar a ponta de seus dedos. Você estará puxando essa energia extra para seu interior.

Respire fundo para começar o influxo. Devagar, abaixe os braços, sentindo puxar essa energia extra para dentro de sua cabeça. Nessa primeira respiração funda, pare na altura dos ombros (com os braços esticados na lateral de seu corpo). Expire e sinta a energia que está pulsando em sua cabeça, pescoço e ombros, crescendo em intensidade, girando ao redor do raio central de luz dentro de você.
Inspire outra vez, desta vez enquanto abaixa os braços, até um ângu­lo de 45 graus, trazendo a energia para seus quadris. Expire, deixando a energia pulsar enquanto desce até eles — mais uma vez, percorrendo livre­mente ao redor do raio central.
Inspire uma terceira vez, abaixando os braços lateralmente, imagi­nando a energia se movendo para baixo até seus pés. Expire, vendo e sen­tindo toda a energia em seu corpo percorrendo ao redor do raio central prateado. Você deve sentir-se mais energizado do que nunca, senão até mais. Você está, de algum modo, transbordando de energia.
Diga:

Incapaz de conter o fogo dos Deuses, loa mio-o para fora de mim.
Que o fogo purifique.

Abra os olhos e desfrute por um instante seu estado de consciência altera­do. Desista, nesse ponto, de qualquer sensação egoísta que tenha. Nessa altura do ritual, você sabe que é tão poderoso quanto se sente.
Respire fundo, sentindo (quase de modo impossível) que ainda mais energia está percorrendo o raio central. Expire, permitindo que essa energia expanda-se para fora de você. Na hora em que essa primeira expiração esti­ver sendo completada, deve haver um oval prateado de luz crepitante ao seu redor, saindo cerca de trinta centímetros em todas as direções, inclusive para o chão abaixo de você. Realmente visualize essa forma cheia, com todas as suas inúmeras faíscas e raios prateados girando dentro. Ela tem um períme­tro definido, mas não muito suave. É saliente e ardente. Você está no centro do oval caótico de energia, e no centro ainda está o raio prateado brilhante.
Em sua próxima inalação, sinta mais energia de cima entrando em você e espalhando-se no oval restrito. Sinta a intensidade da energia e como ela mal é contida no campo ao seu redor. Expire permitindo que o oval se expanda por cerca de noventa centímetros em toda direção. Veja como agora é uma esfera de energia com um metro e oitenta, embora ainda esteja restrita e faiscando em seu perímetro.
Respire fundo novamente, trazendo para baixo energia suficiente que fique apertada contra o perímetro da esfera expandida. Desta vez, ao expi­rar, a energia nova crepitante expandir-se-á até cerca de três metros. Se estiver realizando esse ritual para uma pessoa, veja a beirada restrita mal tocando as pernas dela.
Agora vem os poucos passos capciosos, que provam ser espantosa­mente eficazes.
Inale profundamente, sem tentar trazer mais energia para baixo, e prenda a respiração.
Dê um passo para trás, de repente, movendo-se diretamente para o caminho central do raio de energia!
Expire, mas não se permita ajustar a desorientação que sente. Você acaba de criar uma energia desequilibrada na esfera crepitante e deve tirar vantagem disso.
Respirando normalmente, continue a caminhar para trás, para oeste, até que caminhe para fora da esfera de energia. Fazer isso não lhe trará nenhum mal, a despeito do quanto possa parecer estranho sair dela.
Estique os braços corno se fosse abraçar a esfera. Diga:

E esse fogo sagrado curva-se ao meu desejo.
Una-se diante de mim, pois estamos prontos a destruir o mal presente.

Inspire, elevando em cerca de um quarto o nível de sua energia emocio­nal. Expire, fechando os braços um pouco e desejando que a bola de energia se encolha para a esfera de cerca de um metro e oitenta outra vez. Dê um passo adiante quando fizer isso. Depois de a esfera encolher-se, sinta corno está pulsante e quente — como se não "quisesse" estar assim pequena, pois não perdeu nada de sua energia interna com a mudança de tamanho.
Respire fundo outra vez, elevando sua energia emocional até a meta­de do pico. Conforme expirar, dê uni passo à frente e feche os braços um pouco mais, desejando que a esfera restrita se encolha até cerca de noventa centímetros de largura. Você agora deve ter condições de segurar a esfera de energias com as mãos, embora seja um pouco desconfortável. A pressão
que emana da esfera é imensa. A essa distância você pode ver que o raio central de energia continua lá, dentro da esfera.
Respire fundo, elevando até três quartos a energia emocional. Expire, desejando que a esfera se feche até formada uma outra esfera, que parece ser impossível, com cerca de vinte ou trinta centímetros de brilho prateado. Dê um passo à frente e feche as mãos até ficarem cerca de trinta centímetros distantes uma da outra, notando como mal pode tocar a bola crepitante de energia. Ela está suspensa no ar, no eixo do raio central de energia.
Após alguns segundos, mantendo seu próprio nível de energia, com respiração normal, diga:

O fogo foi liberado para mim.

Veja o raio de energia desaparecer, deixando a esfera de energia suspensa no ar. Respire fundo, imediatamente, para atingir o pico de sua energia, e grite o mais alto que puder:

Expulsei o mal!

Jogue a esfera de energia, usando apenas a mão projetiva. A direção depen­de do propósito do ritual.
Se estiver limpando um quarto, atire a esfera diretamente para o chão. Veja e sinta-a explodir com o impacto, enviando luzes prateadas em explo­sões para cada centímetro do quarto. Sinta a energia correr através de você, conforme ela passa.
Se estiver limpando uma pessoa, jogue a esfera de energia diretamen­te sobre ela. Veja a esfera estalar com o impacto, com todas as partes pas­sando diretamente através da pessoa e outras faiscando ao redor do torso. Note, com os sentidos astrais (que estarão temporariamente elevados nes­sa altura), se alguma forma-pensamento feia parece estar sendo destruída pelo fogo.
Deixe-se cair no chão e tente normalizar a respiração. Firme-se por alguns momentos antes de deixar o quarto ou discutir o ritual com a pes­soa para quem o realizou — isto é, a pessoa que deve estar se sentindo muito melhor agora.


--------------------

Mais algumas ressalvas. Esses procedimentos são complexos e você só tera a chance de usá-los numa abordagem indireta, quando não há nenhuma energia ou entidade se manifestando. Não se prenda à detalhes, como as distâncias que foram estipuladas no ritual acima, bem como às palavras ditas. Após uma limpeza ou banimento, sempre deve-se atrair novas energias para o local ou pessoa, pois do contrário, a própria Natureza se encarregará disso, e as energias advindas podem ser indesejáveis. O vazio sempre é preenchido! Além disso, sele e proteja o local, mas de forma que energias agradáveis e conscientemente convidadas possam entrar.
E não se preocupe. Semelhante atrai semelhante, de acordo com o Axioma Hermético, então vigie-e a si mesmo e nada tem a temer!
Esse assunto é realmente muito complexo, e escrevi este artigo na premissa de que você leitor, esteja familiarizado com os procedimentos costumeiros da Magia. Caso contrário, estou à disposição para maiores esclarecimentos. Podem mandar perguntas através do link disponível na coluna lateral à direita.

Sejam abençoados!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Advertência

O uso das técnicas, rituais e conhecimentos adquiridos no Além do Físico é de responsabilidade única e exclusivamente sua, caro leitor. Não me responsabilizo, em nenhum nível, pela má utilização de tais ferramentas mágicas e espirituais.

Quem sou eu

Minha foto
Faço Psicologia na USP, tenho 22 anos, sou bruxo, magista e médium, sempre em busca das verdades espirituais. Encontro prazer imenso na leitura, que nos possibilita viajar através de dimensões, espaço e tempo num folhear de páginas.

Postagens populares

Seguidores

Visitas

Qual a sua relação com o Mundo Não-Físico?

Google Analytics Alternative