Além do Físico

"Há mais coisas entre o céu e a terra do que supõe vossa vã filosofia"

Pesquisar





                                                 "Eles mantiveram o Cone até que estivessem exaustos
                                                 ou até alguém cair desfalecido, quando então disseram
                                                                         que o feitiço havia atingido seu destino".
                                                                                                               Doreen Valiente
                                                             (comentário sobre a Operação Cone de Poder)


   Cone de poder é o nome dado as energias geradas e erguidas pelos membros em um trabalho ritualístico wicano. Ele nada mais é do que uma onda de poder produzida por seus corpos e pensamentos de forma alta e metodicamente concentrada, transmitida de maneira simples e direta pelos bruxos aos seus objetivos.
   A Maioria das cerimônias, trabalhos e feitiços wicanos necessitam de uma certa quantidade de energia para que ele(s) se realize(m). Sem isso a cerimônia não estará completa e as forças durante todo o processo serão erguidas em vão.
   O Cone de Poder é criado como uma parte integral do ofício wicano, e este é concedido pelos membros do coventículo em uma certa parte do rito. Os membros dão as mãos formando um círculo, todos voltados com as faces para dentro. Logo eles começam a girar e a movimentar rapidamente em sentido horário, mantendo a concentração no ritmo imposto pela canção da runa das bruxas.
   A Runa das bruxas é uma antiga invocação, um chamado das bruxas para que as forças dispostas no círculo mágico despertem e concretizem seus pedidos e desejos.
   Erguendo as forças à medida que cantam, correm e rodopiam, as bruxas iniciam um estranho fenômeno, elas concentram e aumentam suas vibrações corporais visualizando apenas o objetivo proposto, acumulando assim uma enorme quantidade de poder mágico a ser direcionado. Quando o cone começa a assumir sua forma, sua energia pode ser sentida como uma rápida corrente circular no interior deste círculo, algumas vezes pode até ser visto por médiuns ou clarividentes, que afirmam ser uma das coisas mais belas que já viram.
   Desde seu início o cone de poder é direcionado pela líder feminina, a Suma Sacerdotisa, que possui a compreensão da necessidade e da quantidade de energia a ser gerada e erguida, assim como o momento certo para direcioná-la. Quando ela julga que houve acumulo suficiente de energia gerada, ela dá o direcionamento necessário a essa energia e ordena aos demais bruxos:

“Ao Chão!”

   Nesse exato momento todos os membros do coventículo envolvidos no círculo místico do cone de poder se atiram ao chão. Ao mesmo tempo a líder manipula toda a energia erguida para que essa tome a direção desejada pelo grupo.
   Após um breve período de descanso, o coven se ergue do chão. Como a ordem para cair (o que na verdade não necessariamente deve ser aceito como literalmente cair, mais sim se dirigir ao chão a fim de soltar a energia acumulada) é dada no momento certo em que a Sacerdotisa nota que os membros estão exaustos e cansados de dançar e cantar e, após descansarem, o ritual continua da maneira como deve prosseguir.
   Todas as vezes que o cone é construído os Sacerdotes unidos aos membros devem previamente (às vezes com dias de antecedência) decidir o objetivo ao qual o poder erguido será direcionado, pois a energia erguida e focada terá de ser usada em apenas um desejo, pois do contrário a mesma se dividiria e dissiparia.
   As energias levantadas por um cone podem ser direcionadas para qualquer propósito, desde a cura de um enfermo à maldição de alguém que a mereça. A concentração e a força psíquica dos membros do coven devem esperançosamente focar no desejo e vê-lo realizado em toda sua plenitude. Como bons irmãos de clã, as bruxas se cercam da certeza da vitória, transmitindo a energia da terra e de seus corpos para compartilhar com seus irmãos através do caloroso aperto de mão, da dança e da canção, a cooperação mutua para alcançar o desejo com afinco. A partir daí, as energias em transmissão e troca constantes tornam o grupo cada vez mais unido e forte, pois todos partilham das mesmas vontades e dores. Os membros envolvidos tornam-se pessoas mais convictas e confiantes umas nas outras, criando o vínculo familiar que é tema dogmático da wicca:

“O Amor e a confiança perfeitos”.




FONTE: Vassoura Sagrada

1 comentários:

Ótimo texto!!!!
Parabéns!!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Advertência

O uso das técnicas, rituais e conhecimentos adquiridos no Além do Físico é de responsabilidade única e exclusivamente sua, caro leitor. Não me responsabilizo, em nenhum nível, pela má utilização de tais ferramentas mágicas e espirituais.

Quem sou eu

Minha foto
Faço Psicologia na USP, tenho 22 anos, sou bruxo, magista e médium, sempre em busca das verdades espirituais. Encontro prazer imenso na leitura, que nos possibilita viajar através de dimensões, espaço e tempo num folhear de páginas.

Postagens populares

Seguidores

Visitas

Qual a sua relação com o Mundo Não-Físico?

Google Analytics Alternative