Além do Físico

"Há mais coisas entre o céu e a terra do que supõe vossa vã filosofia"

Pesquisar





A Carga da Deusa é um texto escrito por Doreen Valiente (na verdade, ela modificou a versão original escrita por Gerald Gardner, achando que ele não havia expressado a verdadeira essência da Arte) , uma das mães da Bruxaria Moderna, na década de 50 representando as bênçãos e orientações da Deusa aos Wiccanianos. Hoje, várias versões diferentes deste texto e outras Cargas escritas por Bruxos modernos também são usadas em rituais, especialmente, os de Lua Cheia.Com poucas variações o texto pode ser lido abaixo:




Ouçam vós as palavras da Grande Mãe, que desde os dias antigos foi chamada entre os homens de Ártemis, Astarte, Dione, Melusine, Aphrodite, Cerridwen, Diana, Arianrhod, Bride e por muitos outros nomes.
"Sempre que vós tiverdes quaisquer necessidades, uma vez ao mês, e melhor seria quando a lua estiver cheia, então vós deveis vos reunir em algum local secreto e adorar o meu espírito, eu que sou a Rainha de todas as bruxarias. Lá vós deveis vos reunir, vós que estais ardorosos para aprender toda a feitiçaria, mas que ainda não aprendeis os seus segredos mais profundos; a estes eu vou ensinar aquilo que ainda é desconhecido. E vós deveis ser livres de toda servidão; e como sinal de que vós sois realmente livres, vós deveis apresentar-vos nus em seus ritos; e vós deveis dançar, cantar, comer, tocar música e fazer amor, tudo em meu louvor."
"Pois meu é o êxtase do espírito e minha é a alegria do mundo; pois a minha lei é o amor para todos os seres. Mantenhais puro vosso mais elevado ideal; empenhai-vos sempre na sua direção; não deixais nada parar-vos ou desviar-vos. Pois minha é a porta secreta que se abre sobre a Terra da Juventude e minha é a taça do vinho da vida e o Caldeirão de Cerridwen, que é o Graal Sagrado da imortalidade. Eu sou a Deusa Graciosa, que dá o presente da alegria para o coração do homem. Sobre a terra eu dou o conhecimento do espírito eterno; e além da morte, eu dou paz e liberdade e vos reuno com aqueles que partiram antes de vós. Eu não peço nada em sacrifício; pois eu sou a Mãe de tudo o que vive e meu amor recai por sobre a terra."
Ouçam vós as palavras da Deusa Estelar. Ela em cuja poeira dos pés estão as hostes do céu e cujo corpo circunda o Universo.
"Eu, que sou a beleza dos campos verdes, a Lua alva entre as estrelas, o mistério das águas e o desejo do coração do homem, chamo pelas vossas almas. Levantem-se e venham à mim. Pois eu sou o alma da natureza, que dá vida ao universo. De mim tudo vêm e a mim tudo deve retornar; e ante a minha face, amada pelos Deuses e pelos homens, deixe teu ser divino mais profundo se envolver pelo êxtase do infinito."
"Deixem meu culto acontecer na terra que se regozija; pois todos os atos de amor e prazer são meus rituais. E portanto deixem que haja beleza e força, poder e compaixão, honra e humildade, júbilo e reverência dentro de vós.
E aqueles que pensam em me procurar, saibam que a vossa busca e vosso anseio devem beneficiar-vos apenas se vós souberdes o mistério; se o que vós procurardes, vós não achardes dentro de vós mesmos, então nunca encontrarão fora. Pois eu tenho estado convosco desde o início e eu sou aquela que é alcançada ao final do desejo."

Por Doreen Valiente, 1957

 É interessante como esse texto foi escrito, sendo uma "invocação" da Deusa dirigida a nós, seus filhos; orientando-nos em seu Caminho. Leiam novamente e guardem essas sábias palavras!

Por ser uma Deusa um tanto obscura, muito do que se sabia sobre ela foi se perdido através dos tempos, e descrições, mitos e informaçõe sobre ela são escassos.
Seu nome e funções têm relação com a Deusa grega Eos, Deusa do Amanhecer na mitologia grega. Alguns historiadores dizem que ela é meramente uma das várias formas de Frigg *deusa indo-européia – esposa de Odin), ou que seu nome seria um epíteto para representar Frigg em seu aspecto jovem e primaveril. Outros pesquisadores a associam à Astarte (Deusa Fenícia) e Ishtar (deusa Babilônica), devido às similaridades em seus respectivos festivais da Primavera.

Dizem as lendas que Eostre tinha uma especial afeição por crianças. Onde quer que ela fosse, elas a seguiam e a Deusa adorava cantar e entretê-las com sua magia.
Um dia, Eostre estava sentada em um jardim com suas tão amadas crianças, quando um amável pássaro voou sobre elas e pousou na mão da Deusa. Ao dizer algumas palavras mágicas, o pássaro se transformou no animal favorito de Eostre, uma lebre. Isto maravilhou as crianças. Com o passar dos meses, elas repararam que a lebre não estava feliz com a transformação, porque não mais podia cantar nem voar.
As crianças pediram a Eostre que revertesse o encantamento. Ela tentou de todas as formas, mas não conseguiu desfazer o encanto. A magia já estava feita e nada poderia revertê-la. Eostre decidiu esperar até que o inverno passasse, pois nesta época seu poder diminuía. Quem sabe quando a Primavera retornasse e ela fosse de novo restituída de seus poderes plenamente pudesse ao menos dar alguns momentos de alegria à lebre, transformando-a novamente em pássaro, nem que fosse por alguns momentos.
A lebre assim permaneceu até que então a Primavera chegou. Nessa época os poderes de Eostre estavam em seu apogeu e ela pôde transformar a lebre em um pássaro novamente, durante algum tempo. Agradecido, o pássaro botou ovos em homenagem a Eostre. Em celebração à sua liberdade e às crianças, que tinham pedido a Eostre que lhe concedesse sua forma original, o pássaro, transformado em lebre novamente, pintou os ovos e os distribuiu pelo mundo.
Para lembrar às pessoas de seu ato tolo de interferir no livre-arbítrio de alguém, Eostre entalhou a figura de uma lebre na lua que pode ser vista até hoje por nós.

Lebre de Ostara

Eostre assumiu vários nomes diferentes como Eostra, Eostrae, Eastre, Estre e Austra. É considerada a Deusa da Fertilidade plena e da luz crescente da Primavera.
Seus símbolos são a lebre ou o coelho e os ovos, todos representando a fertilidade e o início de uma nova vida.
A lebre é muito conhecida por seu poder gerador e o ovo sempre esteve associado ao começo da vida. Não são poucos os mitos que nos falam do ovo primordial, que teria sido chocado pela luz do Sol, dando assim vida a tudo o que existe.
Eostre também é uma Deusa da Pureza, da Juventude e da Beleza. Era comum na época da Primavera recolher o orvalho para banhar-se ritualisticamente. Acreditava-se que orvalho colhido nessa época estava impregnado com as energias de purificação e juventude de Eostre, e por isso tinha a virtude de purificar e rejuvenescer.

Fonte: Wikipédia


É o Sabá do Equinócio Vernal, que ocorre por volta de 21 de março no Hemisfério Norte, e 21 de setembro no Hemisfério Sul. Nesse dia sagrado, os Bruxos acendem fogueiras novas ao nascer do sol, se rejubilam, tocam sinos e decoram ovos cozidos - um antigo costume pagão associado à Deusa da Fertilidade.

O dia e a noite tem a mesma duração. Ostara recebeu o nome de Eostre ("Estrela do leste", ou seja, o planeta Vênus), a Deusa saxã da aurora e da fertilidade, que em outros lugares é chamada de Ishtar, Astarteia, Asheram Afrodite, Innana e Vênus. O ciclo do estro feminino, relacionado à fertilidade e à sexualidade, recebeu o nome dela. Eostre foi cristianizada como Easter (Páscoa), de onde surge os símbolos universais da fertilidade: ovos, coelhos e patinhos - advindos do Paganismo.

Alta de Ostara
Os ovos eram usados nos antigos ritos da fertilidade. Pintados com vários símbolos mágicos, eram lançados ao fogo ou enterrados como oferendas à Deusa. Em certas partes do mundo pintavam-se os ovos do Equinócio da Primavera de amarelo ou dourado (cores solares sagradas), utilizando-os em rituais para honrar o Deus Sol.

Eostara é um festival que celebra a fertilidade e o nascimento, quando a Mãe Terra dá à luz dois pares de Gêmeos Sagrados: o Homem Verde e a Donzela Vermelha, que representam as plantas e animais.
No Círculo de Elêusis, Perséfone retorna de seus seis meses no Mundo Subterrâneo, renascida como Kore, Donzela das Flores.


Se desejar executar um ritual simples neste Sabá, há duas versões, retiradas dos sites Círculo Sagrado e Bruxaria.net, sendo, obviamente, reservados a eles os direitos de publicação:

Ritual I (Círculo Sagrado)

Ritual II (Bruxaria.net)

De qualquer forma, celebre Ostara! É úm ótimo período para equilibrar nossas energias duais, e plantar projetos que se concretizarão em Beltane. Tenha um ótimo Equinócio!

Fonte de referência do texto: Grimório para o Aprendiz de Feiticeiro, Oberon Zell Ravenheart

O xamanismo é uma filosofia de vida muito antiga, que visa o reencontro do homem com os ensinamentos e fluxo da natureza e com seu próprio mundo interior. Sua origem é um conjunto de ensinamentos milenares que, através da tradição de tribos indígenas do mundo todo, foram sendo passadas até os dias de hoje.
Esses ensinamentos são baseados na observação da natureza e seus sinais: sol, lua, Terra, Água, Fogo, Ar, Animais, Plantas, Vento, Ciclos, etc...


Pode-se considerar o xamanismo como a verdadeira arte de viver. Um dos princípios fundamentais do Xamanismo, é a existência de Espíritos Animais, que podem ser Totens, Animais de Poder ou Aliados. Eles têm grande importância em operações místicas e espirituais, sendo invocados como Guias e Guardiões.

Totens são Espíritos Ancestrais ligados à uma família, tribo, comunidade ou grupo de pessoas que pode se manifestar em qualquer forma natural, como uma pedra, uma árvore, uma folhas; mas preferencialmente assumem formas animais. São como Egrégoras (assunto já discutido em postagem anterior) - mas com formas específicas. Elas representam a essência do grupo, assumindo a forma que melhor traduz isso. Seus integrantes procuram conectar-se ao Totem em busca de apoio espiritual, imitando-lhes os hábitos e aparência.

Animal de Poder é um Espírito pessoal, ligado à uma pessoa. É como um guia que, geralmente, acompanha a pessoa por toda a vida - a conexão ocorre devido à vibrações energéticas similares, de modo que o Animal "empresta" muitas de suas características ao "seu dono" (o Animal escolhe seu parceiro, não o contrário). Outras vezes o Animal de Poder acompanha alguém que necessita desenvolver as características que lhe são próprias. Este Espírito é ligado à pessoa por toda a vida, e através de vidas às vezes, a não ser que ocorra uma mudança muito drástica em sua personalidade; desse modo, outro Animal se associa-a a ela.

Aliados são semelhantes aos Animais de Poder, com a diferença de que não são particularmente ligados a ninguém. São livres para se associarem às pessoas que mais necessitam deles em determinados períodos de sua vida e depois partirem. Eles podem ser invocados ou aparecer por curiosidade. Às vezes anunciam presságios em sonhos ou persistem em ensinar alguma lição.


Os Animais de Poder são os que têm influência maior em nossas vidas, e por isso é importante saber lidar com eles primeiramente, e depois, talvez, se conectar aos Totens e Aliados. Por isso, apresento uma meditação xamânica para encontrar o seu Animal de Poder.


1. Prepare o ambiente com incenso, iluminação de velas e música suave. Coloque música xamânica ou indígena, com instrumentos de sopro e tambores, se possível. Música harmônica e inspiradora na verdade, serve.
2. Acomode-se, de forma que fique o mais confortável possível, seja sentado ou deitado.
3. Respire fundo por algumas vezes até perceber que está bem calmo e relaxado.
4. Relaxe o corpo focalizando sua atenção parte a parte, de baixo para cima, isto é, relaxe primeiro os pés e aos poucos vá relaxando todo o corpo até chegar à cabeça.
5. Imagine-se em algum lugar em meio à natureza: montanha, praia, campo, lago, floresta...
6. Mantenha-se receptivo e esteja atento às imagens que surjam nessa experiência e nos sonhos das próximas noites, até que determinado animal prevaleça e se torne presente de modo significativo.
7. Explore, com todo respeito, todas as possibilidades de diálogo e aprendizado que poderá ter consigo mesmo a partir da percepção de seu animal de poder.
8. Agradeça à natureza e aos animais por serem seus amigos e as graças recebidas.
9. Após tomar conhecimento do seu animal de poder, procure visualizá-lo sempre ao seu lado, tanto nas horas prazer, quanto nas de mais extrema necessidade, invocando sua forças e características em seu auxílio. É uma boa idéia ter uma representação física do animal: uma estatueta, uma figura, penas, pêlo, dentes... 

Como não disponho de mais espaço para esta postagem, segue-se o link de uma lista bem completa dos animais mais comumente encontrados durante a Busca e suas principais características.  LISTA.

Fontes de referência: 
www.misteriosantigos.com/
www.terramistica.com.br/
www.xamaurbano.com.br/   (créditos autorais da lista de animais ao Xamã Urbano)

Creditado ao filósofo siciliano do século V a.C.. Empédocles, o conceito dos quatro (ou cinco) Elementos como a base de toda a vida e sendo parte do Universo, era um ensinamento essencial de Aristóteles (384-322 a.C.) e dos Mistérios Pitagóricos da antiga Grécia, e esse sistema se destacou nas magias de todos os sistemas ocidentais, vindo do Oriente Médio, passando pelo Egito, Grécia, Roma, Herméticos e Alquimia, e chegando ao Ocultismo, Bruxaria e Feitiçaria modernos. É o modelo conceitual mais usado no mundo; e é também a base do sistema mágico Enochiano, como o Tarô, a Astrologia, as estações e o Círculo Mágico. Colocando de maneira simples, os quatro elementos são Terra, Água, Fogo e Ar. Além disso, cada Elemento é imbuído, como tudo no Universo, com a Essência não física do Divino, que chamamos de Espírito (também Éter ou Quintessência).
A importância do conceitos dos Elementos na Magia está nas correspondências (analogias) de cada um com muitas coisas. Alquimistas e magos medievais atnbuiram associações elementais a várias pedras preciosas e minerais, corpos celestes, direções e estações, espécies de plantas e animais, formas geométricas, as partes externas e internas do corpo humano e traços da personalidade humana. Em cada um de nós, eles representam a existência física (Terra), compaixão e emoção (Água), intelecto e comunicação (Ar) e transformação e criatividade (Fogo).

Nos trabalhos de magia, os magos, bruxos e Feiticeiros convocam as forças sutis dos elementos e seus espíritos guardiões, os Elementais. Consagramos nossos instrumentos e objetos ritualísticos com os elementos, tocando ou passando-os por cada substância - como sal, terra ou cristais para a Terra; um cálice de Água; a fumaça de um incenso queimando no Ar; e a chama de uma vela para o Fogo. O Espírito é imaterial, mas na Bruxaria, associamos o Caldeirão como fonte de seu poder, pois representa o Útero da Deusa, e portando a Energia Primordial da Criação. Quando um Círculo Mágico é lançado, cada elemento ou seu símbolo é colocado no Quarto correspondente, e seu espírito guardião é invocado.




Veja agora algumas analogias importantes dos 4 elementos:



EXPRESSÕES MANIFESTAS

Fogo

· Chama (todas - desde a chama de uma vela, de uma lareira, até o incêndio feroz e incontrolável de f orestas)
· Eletricidade
· Fissão
· Fricção
· Combustão
· Luz
· Brilho
· Calor
· Transformação pela interação com outros elementos

Água

· Lagos, rios, oceanos, orvalho, chuva
· Secreções corporais líquidas
· Umidade (condensação, névoa, vapor)
· Aquosidade Líquido
· Amplidão inconformada
· Mutabilidade
· Magnetismo
· Transformação pela interação com outros elementos

Terra

· Todas as coisas sólidas
· Tudo que é táctil
· Realidade tangível
· Sujeito à função transformativa de decomposição
· Terra; tanto no sentido elétrico quanto em sua relatividade com o que mantém a vida (como a entendemos) · · Estrutura e forma
· Dimensão
· Tempo
· Existência (como fenômeno percebido pelos sentidos)
· Transformação pela interação com outros elementos

Ar

· Todas as coisas atmosféricas - Gases
· Espaço
· Aquilo que é celestial
· Teoria
· Aquilo que é etérico
· Freqüência
· Noumenon (aquilo que é objeto apenas de intuicão intelectual)
· Som e o meio através do qual ele se propaga
· Aquilo que é invisível

No próximo post, confira as Expressões pessoais dos Elementos e exercícios para se conectar a eles.

FONTE: Grimório para o Aprendiz de Feiiceiro - Oberon Zell Ravenheart
Bruxaria, Teoria e Prática - Ly de Angeles

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Advertência

O uso das técnicas, rituais e conhecimentos adquiridos no Além do Físico é de responsabilidade única e exclusivamente sua, caro leitor. Não me responsabilizo, em nenhum nível, pela má utilização de tais ferramentas mágicas e espirituais.

Quem sou eu

Minha foto
Faço Psicologia na USP, tenho 22 anos, sou bruxo, magista e médium, sempre em busca das verdades espirituais. Encontro prazer imenso na leitura, que nos possibilita viajar através de dimensões, espaço e tempo num folhear de páginas.

Postagens populares

Seguidores

Visitas

Qual a sua relação com o Mundo Não-Físico?

Google Analytics Alternative