Além do Físico

"Há mais coisas entre o céu e a terra do que supõe vossa vã filosofia"

Pesquisar






A Idade da Razão (1605-1900 d.C.)

Nos séculos XVI e XVII, a palavra "feiticeiro" era aplicada àqueles que praticavam a Alta Magia e a vários magos populares, que também eram conhecidos por outros nomes: encantadores, abençoadores, conjuradores e bruxos. Mas, na metade do século XVII, a Feitiçaria tanto dos magos populares quanto da Alta Magia começou a declinar em prestígio, saiu dos centros urbanos para o campo. Em 1662, a Academia Real de Ciências foi fundada na Inglaterra. Isso marcou o início da separação entre a Magia e o Mundo Mundano, pois a Academia redefiniu as disciplinas, excluindo tudo o que considerava "não científico" e, portanto, "falso". A Astronomia foi separada da Astrologia; a Física, da Metafísica; e a Química, da Alquimia. Com essa divisão, o hemisfério esquerdo da experiência humana foi separado do direito, e a civilização ocidental ficou cega de um olho.
No mundo da Magia, os séculos XVII e XVIII testemunharam uma popularidade das ordens mágicas secretas, como a Maçonaria e a Rosa-Cruz. Os rituais dessas ordens eram baseados nas escolas Herméticas e de Mistério, no Tarô, nas interpretações da Cabala e na Astrologia. Diversos grimórios, contendo instruções detalhadas para ritos mágicos, circulavam amplamente. O mais importante deles, ainda usado hoje, é a Chave de Salomão, que existe desde o primeiro século da Era Cristã. Durante os séculos XVII e XVIII, a moderna Magia Cerimonial teve seu início. Trata-se de uma arte complexa de lidar com espíritos. Requer uma disciplina rígida e tem apelo intelectual. Os magos cerimoniais derivavam seu poder do Deus judaico-cristão por meio do controle de espíritos, de modo geral demônios. Eles acreditavam que os demônios eram mais fáceis de ser controlados do que os anjos. Em seu sentido mais supremo, a Magia Cerimonial é uma experiência transcendental que leva o mago a reinos místicos e à comunicação com o Eu Supremo.
A Alta Magia teve forte revivificação no inicio do século XIX com a publicação de The Magus, de Francis Barret, em 1801. Esse renascimento recebeu uma influência significativa de Eliphas Levi, cuja explicação sobre como a magia opera, em Dogma e Ritual de Alta Magia ( 1856), teve um impacto duradouro no pensamento dos magos. Levi apresentou três Leis da Magia: Força de Vontade, Luz Astral e "Como acima, também abaixo". Outros tutores que contribuíram para a ascensão da Magia Cerimonial foram o Espiritualismo e a Teosofia, ambos envolvendo a comunicação com espíritos e os mortos. A Feitiçaria popular continuou a ser predominantemente um fenômeno rural. Depois de 1825, a palavra feiticeiro se tornou praticamente um sinônimo de bruxo, mas seu uso declinou durante o século XX.

 
Tempos Modernos (depois de 1900)

Talvez o grande sistema da Magia Cerimonial ocidental tenha sido desenvolvido pela Ordem Hermética da Golden Dawn, fundada na inglaterra por três membros da Rosacruz, no fim do século XIX. A Golden Dawn expandiu os escritos de Levi e acrescentou uma Quarta Lei - Imaginaçao - sem a qual a Vontade era ineficaz. A Golden Dawn teve uma grande influência sobre Aleister Crowley, considerado por alguns um dos maiores magos do século XX. Sua principal contribuição à Magia foi a popularizaçao de Law of Thelema, de Rabelais: "Faze o que tu queres, há de ser tudo da lei". Outro grupo mágico que influenciou a magia moderna é a Ordo Templi Orientis (O.T.O. – “A Ordem do Templo do Oriente”), fundada no início do século XX pelo alemão Karl Kellner, devotado à magia sexual tântrica. A década de 1950 testemunhou a emergência da Bruxaria (na forma da Wicca), encabeçada por Gerald Gardner (da foto), um inglês que publicou vários livros; desenvolveu diversos rituais e iniciou inúmeros Bruxos.
No fim do século XX, ocorreu um grande renascimento da Magia, da Bruxaria e do Paganismo. Da década de 1960 em diante, muitos grupos novos de magia foram fundados e o número de praticantes aumentou de centenas para milhões. Muitos livros acerca de vários aspectos da Magia foram publicados, apoiando uma indústria totalmente nova de editores e livrarias do "oculto". E, por fim, no despertar do século XXI, a Feiticaria mais uma vez, alcançou o reconhecimento público com o lançamento dos livros e filmes da série Harry Potter e os filmes da série O Senhor dos Anéis.  
Acabamos o nosso tour pela História da Magia Ocidental, eu que particularmente gosto desta disciplina, gostei ainda mais da abordagem mágica, espero que o mesmo tenha ocorrido com vocês! 

3 comentários:

A paz invadiu meu coração.
Seguindo este blog tão especial!!

E a hipocrisia cientifica começa quando consideram falsa a base de tudo o que agora é considerado verdade

"A Astronomia foi separada da Astrologia; a Física, da Metafísica; e a Química, da Alquimia. Com essa divisão, o hemisfério esquerdo da experiência humana foi separado do direito, e a civilização ocidental ficou cega de um olho." Sem palavras!

Estou lendo o blog desde o início para colher alguns temas para estudo. Parabéns pelo trabalho!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Advertência

O uso das técnicas, rituais e conhecimentos adquiridos no Além do Físico é de responsabilidade única e exclusivamente sua, caro leitor. Não me responsabilizo, em nenhum nível, pela má utilização de tais ferramentas mágicas e espirituais.

Quem sou eu

Minha foto
Faço Psicologia na USP, tenho 22 anos, sou bruxo, magista e médium, sempre em busca das verdades espirituais. Encontro prazer imenso na leitura, que nos possibilita viajar através de dimensões, espaço e tempo num folhear de páginas.

Postagens populares

Seguidores

Visitas

Qual a sua relação com o Mundo Não-Físico?

Google Analytics Alternative